Bovespa opera em queda após corte de rating pela S

Publicado em 12/01/2018 por DCI

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista operava em queda nesta sexta-feira, buscando alguma realização após a agência de classificação de risco Standard & Poors rebaixar a nota de crédito do Brasil, mas com o movimento limitado pela manutenção de perspectivas otimistas no exterior e localmente.

Às 11:55, o Ibovespa caía 0,48 por cento, a 78.983 pontos. O giro financeiro era de 2,1 bilhões de reais.

Na noite passada, a S&P cortou o rating do Brasil para BB-, ante BB, citando a demora na aprovação de medidas para reequilibrar as contas públicas e também em meio a incertezas com as eleições deste ano.

O Ibovespa segue perto de máximas recordes após o recente rali, ajudado ainda pela manutenção de um forte fluxo de investimento estrangeiro neste início de ano. Apenas nos seis primeiros pregões do ano o saldo externo ficou positivo em 2,688 bilhões de reais, muito acima do verificado no mesmo período do anterior, de cerca de 1 bilhão de reais.

"Para o investidor estrangeiro que entra aqui pouco muda porque já não temos o importante selo de investment grade. O novo rebaixamento dificulta e retarda a volta para o investment grade, mas, por outro lado, aumenta a urgência para aprovação das reformas necessárias, não somente a da Previdência mas outras medidas importantes como reoneração da folha de pagamentos, tributação de fundos exclusivos", disse o analista da corretora Lerosa Investimentos Vitor Suzaki.

 

DESTAQUES

- KROTON ON recuava 1,12 por cento, ainda na esteira do corte na recomendação do papel e no preço-alvo pelos analistas do JP Morgan. Na véspera, as ações caíram 3,63 por cento e lideraram a ponta negativa do Ibovespa.

 

- ELETROBRAS PNB caía 1,40 por cento e ELETROBRAS ON recuava 0,87 por cento, à espera de novidades sobre o processo de privatização, após uma liminar suspender, na véspera, trecho da medida provisória que retirava vetos à privatização da elétrica e de suas subsidiárias, em ação que pode afetar os prazos da privatização.

 

- PETROBRAS PN tinha queda de 0,46 por cento, enquanto PETROBRAS ON recuava 0,44 por cento, em dia de perdas para os preços do petróleo no mercado internacional.

 

- VALE ON subia 0,53 por cento, devolvendo as perdas vistas mais cedo e indo na contramão do movimento dos contratos futuros do minério de ferro na China, que caíram nesta sessão.

 

- CSN ON subia 2,12 por cento e USIMINAS PNA tinha alta de 3,61 por cento, permanecendo entre as maiores altas do índice diante dos recentes aumentos nos preços do aço a clientes e após a melhora na véspera do preço-alvo para esses papéis pelo BTG Pactual. A GERDAU PN, contudo, recuava 0,13 por cento.

 

 

(Por Flavia Bohone)