Uma corretora que marcou época no país

Publicado em 10/08/2018 por Valor Online

Uma corretora que marcou época no país

Guito Moreto/Agência O Globo

George Vidor revela detalhes de história de corretora que marcou época de 1950 a 1970

Foi como jovem repórter de economia, em 1972, que George Vidor conheceu o então poderoso Marcello Leite Barbosa, presidente da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro e proprietário de uma corretora de valores que levava seu nome. Mas, justamente nessa época, os negócios do empresário já davam mostras de que não iam tão bem.

Algum tempo depois dos primeiros contatos com Vidor, numa atitude inesperada Leite Barbosa renunciou ao cargo, em ação simultânea a João Osório de Oliveira Germano, da Bolsa de Valores de São Paulo. A decisão, segundo noticiário da época, tinha a ver com interferências externas nos preços das ações. O jornalista seguia de perto a movimentação dos mercados, mas como os tempos eram sombrios, em pleno regime militar, tanto Vidor quanto a imprensa não puderam dar ao fato o destaque que merecia.

Quarenta e seis anos depois, Vidor pôde descrever esse episódio com detalhes no livro "Os Leite Barbosa - A Saga da Corretora que Revolucionou o Mercado", em que conta a história da corretora que marcou época de 1950 a 1970.

Segundo Vidor, as nebulosas razões da saída de Barbosa da Bolsa do Rio e as consequentes dificuldades que a corretora do empresário enfrentou naquele período perderam-se nos burburinhos do mercado financeiro, mas permaneceram na memória da família e dos que nela trabalharam. Para os Leite Barbosa, escreve Vidor, a fase de decadência da corretora foi de amargura, virando tabu na família. Por isso, as novas gerações não tomaram conhecimento do que se passou.

Em 2015, Antonia Leite Barbosa decidiu que a fantástica história do avô e da empresa, com seus altos e baixos, não poderia simplesmente desaparecer por falta de registro. Decidida a colocar em livro a saga de Marcello Leite Barbosa e sua corretora de valores, Antonia convidou Vidor para a missão de escrevê-lo.

Entre os depoimentos ao livro está também o do próprio autor, narrando em primeira pessoa. Escrita em linguagem coloquial e clara, a trajetória de Barbosa desenvolve-se em ordem cronológica, desde seu nascimento em Baturité, Ceará, até algum tempo após sua morte em Nova York, aos 59 anos em 1977, quando a família passou a comandar a empresa.

Segundo o publisher da Edições de Janeiro, José Luiz Alquéres, que assina o prefácio, Barbosa chegou ao Rio em 1930, em busca de oportunidades. Ele compreendeu o impulso dos consumidores e mudanças em curso na sociedade do pós-guerra, transformando-se em promotor do mercado de capitais. "Experimenta grande sucesso e, mais tarde, amarga os revezes da fortuna. Sua família, abalada por seu prematuro falecimento, assume a empresa e, quando a vende, ela está financeiramente estável", escreve Alquéres.

Vidor mostra que o declínio da Leite Barbosa foi devido a vários fatores, como problemas de gestão, dificuldades em cumprir determinadas leis que estavam sendo criadas na época pelo governo para regulamentação do mercado e estratégias de marketing equivocadas. Até mesmo o patriarcalismo corporativista, que fazia o grupo manter funcionários e parceiros inadequados ao negócio, entra na lista de problemas.

Para retratar uma história tão rica e densa, centenas de pessoas marcantes perpassam pelo livro, cujos protagonistas são Marcello e seu filho Maurício. Mulheres também têm destaque especial. Vidor conta que, numa época em que elas ainda não tinham conquistado o mercado de trabalho e investimento era coisa para homens, o patriarca contratava "senhoras e moças elegantes da sociedade carioca" para vender cotas de fundos. Também realizava encontros especiais para mulheres nos salões do Copacabana Palace, para desenvolver nelas o espírito investidor. O autor acrescenta também a esse círculo personagens que frequentavam colunas sociais cariocas da época, expressando seu viés de cronista de costumes.

Vidor conta a saga dos Leite Barbosa inserida nos vários momentos da história política e econômica do Brasil. Traz informações sobre a criação do Banco Central, as relações dos governos com instituições financeiras privadas, a criação das leis que norteiam o mercado de capitais até hoje, a introdução do open market no Brasil, a correção monetária e o surgimento dos Fundos de Investimentos, entre outras. Complementam o livro mais de 50 páginas de fotos em preto e branco, ilustrações de recortes de jornais e reproduções de publicidade e documentos.

"Os Leite Barbosa - A Saga da Corretora que Revolucionou o Mercado"

George Vidor Edições de Janeiro, 256 págs., R$ 70