Com expectativa sobre reforma da Previdência, Bolsa e dólar operam próximos à estabilidade

Publicado em 06/12/2017 por O Globo

Dólar em ascensão e turbulência no mercado estimulam investidores a procurar contratos futuros - Márcia Foletto

RIO - Após três dias de perdas com aversão ao risco no exterior e otimismo sobre a reforma da Previdência, o humor do mercado mudou e, desde o fim do pregão de terça-feira, o Ibovespa opera em leve queda. Nesta quarta-feira, o principal índice da Bolsa cai 0,27%, próximo à estabilidade, a 72.343 mil pontos, com a expectativa sobre a votação da reforma. O dólar é negociado na estabilidade, a R$ 3,235, enquanto mercados aguardam indicador de emprego nos Estados Unidos.

"A quarta-feira tem início relativamente estável para os ativos de risco brasileiros. No final do pregão de ontem (terça-feira), diante de perspectiva pior de membros do governo para os votos a favor da reforma, o mercado acabou revertendo o movimento positivo do dia. Hoje, aguarda sinalizações adicionais para a reforma e a decisão do Copom após o fechamento do pregão", escreveu Rafael Sabadell da Gueratto Press.

Na Bolsa, a recuperação no mercado de celulose, liderada pelo aumento da demanda na China, impulsiona as empresas do ramo - que exercem o principal impacto positivo no pregão. Em primeiro lugar, estão os papeis ordinários (ON, sem direito a voto) da Fibria Celulose, que valorizam 5,74% a R$ 47,38. Em segundo, a Suzano Papel e Celulose, subindo 3,98% a R$ 18,53.

O minério de ferro caindo 4% em Dailan, por outro lado, derruba as ações da Vale. A mineradora está na lanterna da Bolsa, com desvalorização de 1,03%. Tanto os papeis ordinários como os preferenciais da Petrobras operam na estabilidade.