Governo federal vai acumular rombo de R$ 724 bi até 2019

Publicado em 12/01/2018 por DCI

O rombo nas contas da União caminha para R$ 724,965 bilhões acumulados em seis anos (2014-2019). Com esse total seria possível pagar salário mínimo para 63 milhões de pessoas durante um ano.

Este valor também corresponde a um pouco mais de 11% do Produto Interno Bruto (PIB) previsto para 2017, o que, para o coordenador do curso de administração do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), Ricardo Balistiero, representa um engessamento do setor público e aponta para a necessidade crescente de expansão da dívida para o financiamento do déficit.

O rombo de R$ 724,965 bilhões estimado para os seis anos resulta dos desempenhos fiscais negativos já registrados em 2014, 2015 e 2016, de R$ 17,210 bilhões, R$ 114,740 bilhões e R$ 161,275, respectivamente, mais a mediana das estimativas traçadas pelo mercado no boletim Prisma Fiscal, do Ministério da Fazenda.

Em 2017, o governo federal deve ter registrado um déficit de R$ 156,736 bilhões, e neste ano as estimativas são de novo déficit de R$ 153,944 bilhões; e de R$ 120,960 bilhões, para 2019.

"Esta é uma situação grave. O governo não conseguirá reverter este déficit no curto prazo, mesmo aprovando a reforma da Previdência, que impactaria de forma concreta as contas somente daqui a dez anos", diz Balistiero.

O Prisma Fiscal projeta uma dívida bruta de 77,21% do PIB no final deste ano. Já para 2019, a estimativa é de endividamento público de 78,39%. PÁGINA 4