IBGE: Varejo passou por acomodação em agosto, mas não muda tendência

Publicado em 11/10/2017 por Valor Online

RIO - A queda de 0,5% no volume de vendas do varejo na passagem de julho para agosto marca a primeira baixa após três taxas positivas e uma estabilidade nos últimos meses. Apesar disso, o resultado não aponta uma reversão de tendência do setor, avalia Isabella Nunes, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE. "É mais um ajuste do que uma reversão de tendência. O resultado vem após três crescimentos e uma acomodação. Essa sequência não é muito comum na série histórica da pesquisa. A última vez que houve sequência positiva assim foi de agosto e novembro de 2014, quando cresceu 2,6%", disse Isabella. "A queda de agosto está mais ligada a uma acomodação", acrescentou a gerente. Para Isabella Nunes, a média móvel trimestral da pesquisa contribui para mostrar que não houve reversão da tendências do setor. O indicador ainda cresce 0,1%, ainda que de forma menos intensa do que no mês anterior, quando a média mostrava crescimento de 0,3%. "Ela se desloca para baixo, mas ainda está positiva", disse Isabella. "A média móvel suaviza a volatilidade do resultado da pesquisa na margem. O saldo está positivo, perto da estabilidade". A recuperação mais robusta do varejo depende ainda de uma conjunção de fatores. Ela lembra que o consumo depende do comportamento do mercado de trabalho, do crédito, da inflação, por exemplo. "São pontos que estão neste ano melhor que em 2016. Renda mais recomposta, com inflação menor. Mercado de trabalho mostra estabilidade no rendimento e na massa, alguma recuperação no emprego, pelo informal", disse a gerente.