Parlamento espanhol aprova remoção de corpo do ditador Franco

Publicado em 13/09/2018 por Portal R7

Parlamento espanhol aprova remoção de corpo do ditador Franco Decreto prevê que o local onde se encontram os restos mortais do general seja transformado em um memorial para as vítimas da Guerra Civil remoção do corpo do ditador franco

Deputados socialistas comemoraram vitória no Parlamento espanhol

Deputados socialistas comemoraram vitória no Parlamento espanhol

Sergio Perez/Reuters - 13/9/2018

O Parlamento espanhol aprovou nesta quinta-feira (13) o decreto para retirar o corpo do ditador Francisco Franco do local onde está sepultado, o monumento conhecido como "Vale dos Caídos", em Madri, na Espanha. O decreto já tinha sido aprovado pelo governo no fim do mês de agosto.

O projeto prevê que o local, hoje um memorial franquista, seja transformado em um memorial para as vítimas da guerra civil espanhola, que aconteceu entre 1936 e 1939. O conflito acabou com a vitória da aliança Nacionalista, grupo conservador liderado pelo general Fraco, que assumiu o governo e permaneceu no cargo até sua morte, em 1975.

Durante seu governo, quase 500 mil combatentes foram mortos e outros milhares presos em meio a uma campanha para acabar com a dissidência. Crimes políticos passados foram perdoados como parte da transição da Espanha para a democracia no final dos anos 1970, fomentando o ressentimento entre algumas famílias de vítimas. Muitas ainda esperam permissão para desenterrar restos mortais de guerra no Vale dos Caídos e em dezenas de sepulturas não identificadas em todo o país.

Críticos consideram o local, assinalado por uma cruz de 152 metros de altura, o único monumento a um líder fascista ainda existente na Europa.

Leia também: Governo Sánchez é o 1º na Espanha com maioria de mulheres

O projeto de lei tinha o apoio dos socialistas governantes, do Povo de esquerda e dos partidos regionais menores e passou com 176 votos a favor, mas houve 165 abstenções e dois contra.

Muitas pessoas acompanharam a votação dentro e fora do parlamento, mas os planos para mover os restos de Franco dividiram a sociedade espanhola.

Manifestantes favoráveis à remoção se reuniram em Frente ao Parlamento

Manifestantes favoráveis à remoção se reuniram em Frente ao Parlamento

Susana Vera/Reuters - 13/9/2018

Seus descendentes divulgaram uma declaração no mês passado expressando sua oposição "firme e unânime" à exumação. O comunicado disse que a família espera que a ordem beneditina encarregada do local, que é marcada por uma cruz de 152 metros, impeça a "vingança" do Estado.

O governo do primeiro-ministro Pedro Sánchez espera que a exumação de Franco ajude a resolver as queixas do período de seu governo que ainda lança sombra sobre o país.

O processo legislativo para tornar o monumento "um local de celebração, lembrança e homenagem às vítimas da guerra" deve ser concluído até o final do ano, segundo a vice-premiê Carmen Calvo.