Venda de cimento cai em setembro

Publicado em 11/10/2017 por DCI

11/10/2017 - 05h00

Venda de cimento cai em setembro

São Paulo - As vendas de cimento no Brasil caíram 2,4% em setembro em relação ao mesmo mês do ano passado e 5% ante agosto, para 4,786 milhões de toneladas, informou ontem o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (Snic).

Segundo a entidade, a única região do País a mostrar crescimento nas vendas em setembro no comparativo anual foi a Sul, com alta de 4%, para 776 mil toneladas. No Centro-Oeste, houve estabilidade, para 532 mil toneladas. Já a região Sudeste teve baixa de 1,9% (2,2 milhões de toneladas), o Nordeste registrou queda de 5,2%(1 milhão de toneladas) e o Norte apresentou recuo de 18,4% (222 mil toneladas) em setembro sobre um ano antes.

"Apesar da queda, efetivamente estamos vendo recuperação, uma vez que o recuo acumulado no ano até setembro é de 7,4%, sendo que começamos o ano com baixa de 11,7%", declarou o presidente do Snic, Paulo Penna.

Ele afirmou que tipicamente o segundo semestre é melhor do que o primeiro para as vendas do setor, diante de fatores como recursos do 13º salário e férias, que motivam o chamado "consumo formiga", de pequenas obras e reformas.

A expectativa do Snic é de que as vendas de cimento em 2017 caiam entre 6% e 7%, se recuperando em 2018 para um fechamento estável sobre este ano, disse Penna. "Enxergamos recuperação, início de algumas obras habitacionais por conta de maturação de programas como o cartão reforma e ampliação de faixas de renda do Minha Casa Minha Vida", disse Penna.

O executivo acrescentou, porém, que as obras de infraestrutura e concessões, que poderiam fomentar um consumo maior de cimento, ainda não estão impactando o setor. "Há um problema fiscal sério dos governos, o que tem impedido investimentos significativos", afirmou o dirigente.

Segundo dados do Snic, no final de setembro os fabricantes de cimento exibiam ociosidade de 46% sobre uma capacidade total de produção de 100 milhões de toneladas.

O setor acumula quedas consecutivas de vendas de cerca de 28% desde 2014.

Como comparação, nos doze meses encerrados em setembro de 2015 as vendas somavam 67,255 milhões de toneladas, enquanto no intervalo de outubro de 2016 e setembro de 2017 totalizaram 54,156 milhões de toneladas, segundo o Snic.

Da Redação e Agências

Assuntos relacionados:

balanço