Votação da reforma vai ocorrer na terça, diz deputado do PMDB

Publicado em 06/12/2017 por Valor Online

BRASÍLIA - (Atualizada às 11h53) Um dos últimos a deixar o café da manhã com o presidente Michel Temer (PMDB) e líderes da base aliada sobre a reforma da Previdência no Palácio da Alvorada, o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) afirmou que o governo está mais perto de conseguir a aprovação da reforma da Previdência e garantiu que a votação da proposta de emenda constitucional (PEC), em primeiro turno, acontecerá na próxima terça-feira. "Semana passada, estávamos longe de votar. Agora, estamos mais perto. Revertemos o clima de descenso para um clima de otimismo. Os deputados estão mais confiantes e vamos ter votação na terça-feira", disse Perondi. O relator Arthur Maia (PPS-BA), também presente no café da manhã com Temer, disse, por sua vez, que o calendário para votação está sendo formulado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Alinhado com o deputado Beto Mansur (PRB-SP), Perondi afirmou que é possível dizer que hoje há apoio garantido de 260 parlamentares. Notou, porém, que, após o jantar da noite desta quarta-feira entre Temer, ministros e líderes, será possível dar números mais concretos em relação à reforma. A projeção mais otimista é do relator, que estimou ter entre 290 e 310 votos. "O engajamento tem crescido. Estamos no melhor momento desde que se iniciou essa reforma. Acho que hoje temos entre 290 e 310 votos. É minha avaliação pessoal", afirmou Arthur Maia. Perondi observou que a contagem do relator pode ser atribuída ao fato de Maia já ter incluído alguns indecisos. "Há mais de 120 indecisos sobre a reforma da Previdência, o que nos dá margem para acreditarmos na aprovação da reforma. A tendência dos indecisos é fechar com o governo na reta final. Governo forte, com caneta, deve conseguir aprovação da reforma", defendeu. Acreditando na virada dos votos de partidos com grande número de indecisos, Perondi afirmou que levará consultores da Previdência ao PR e ao PSD na tarde desta quarta-feira para tirar dúvidas de parlamentares sobre a reforma. Maia disse que, durante o encontro desta quarta-feira, Temer pediu o esforço dos líderes para ampliar o número de votos a favor da reforma e demonstrou preocupação com os impactos de uma eventual não aprovação da proposta. O deputado do PPS destacou ainda que a reforma é importante para o Palácio do Planalto, mas é mais importante ainda para os Estados e municípios, que continuarão recebendo ajuda do governo federal - quando isso for necessário - apenas se a reforma da Previdência sair do papel. "O governo federal tem sido como um pai bondoso para Estados e municípios, sempre disposto a ajudá-los quando solicitado. Tudo isso não poderá continuar acontecendo sem votar a aprovação da reforma da Previdência. Por isso, é importante que os governadores e prefeitos, que têm influência nas bancadas, contribuam para que a gente consiga aprovar a reforma." Antes de terminar a entrevista na porta do Palácio da Alvorada, o relator destacou que a notícia positiva dada durante o café da manhã é que o PMDB vai oficializar o fechamento de questão ainda nesta quarta-feira. "Eu penso que o PMDB está dando uma grande contribuição para o país ao decidir fechar questão a favor da reforma." "Fechar questão" implica obrigar os deputados a votar conforme a orientação do partido, sob pena de alguma punição, que no limite, pode implicar a expulsão da sigla.