Moradores da Rua Umari, em Laranjeiras, queixam-se de festas realizadas no espaço público

Publicado em 28/03/2018 por O Globo

Rua fica lotada nos dias de festa - Foto de leitor

RIO - Uma rua pacata de Laranjeiras tem sido palco de vários eventos que terminam por tirar o sono dos moradores das cerca de 15 casas que a compõem. A Rua Umari não tem saída e, segundo eles, virou ponto de encontro de jovens que pleiteiam a ocupação do espaço para diversão. O problema, ainda de acordo com quem mora ali, é que os eventos costumam ser embalados por música alta e muito barulho durante a madrugada.

Um dos que mais tiram o sossego do lugar é o M.I.E. - Música, Improviso e Estilo, cujas edições costumam ter início às 23h e só terminam depois do nascer do sol, segundo moradores. A Polícia Militar chegou a ser acionada para coibir o som alto. Ele é baixado na presença dos agentes, mas volta ao volume original tão logo deixam a rua.

Uma moradora, que prefere não ser identificada, conta que, ao aparecer no portão para receber os policiais e prosseguir com a queixa, foi hostilizada pelos frequentadores da festa com xingamentos, gestos e até ameaças:

- Como tenho câmera na frente de casa vi que eles, em represália, jogaram ovo no meu portão e urinaram na frente da minha casa. Entre 200 e 300 pessoas chegam a fiar concentradas numa rua que é sem saída. Não conseguimos chegar ou sair de carro e nem dormir.

A falta de estrutura para suportar o volume de pessoas que se reúnem na Rua Umari fica evidenciada em fotos tiradas pelos moradores. As imagens mostram o asfalto tomado pelos frequentadores. Segundo os que residem ali, alguns dos eventos são apresentados aos vizinhos como aniversário de algum morador, mas acabam congregando muito mais gente do que o esperado para uma confraternização casual. O resultado é uma série de transtornos, como lixo e pertubação do sono, já que a rua não tem infraestrutura para receber tantas pessoas sem incomodar o entorno.

A Lúdica Produções, uma produtora de eventos situada na via, é apontada como a organizadora das festas que geram os maiores problemas, como música alta e até a instalação de banheiros públicos na porta da garagem das casas. A equipe de reportagem do GLOBO-Zona Sul não conseguiu entrar em contato com a Lúdica Produções até o fechamento desta edição. Marcos Rangel, produtor e morador da rua, apontado como organizador da festa M.I.E., também não foi localizado pelo jornal.

Por meio de nota, a Polícia Militar respondeu que "para ocorrências de perturbação do trabalho e sossego, o denunciante deve se identificar e aguardar a patrulha, que irá encaminhar as duas partes à delegacia de polícia (PCERJ) para registro da ocorrência, uma vez que se trata de uma contravenção penal condicionada à representação do ofendido, ou seja, a lei exige a presença do acusado e da vítima para registro da queixa".

Sem saída. Rua Umari, em Laranjeiras, é formada por poucas casas - Brenno Carvalho / Brenno Carvalho

Já a coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização da prefeitura informa que "não emitiu qualquer autorização para a realização de evento na rua. Assim como não recebeu nenhuma denúncia sobre eventos nesse local. Lá existe um alvará de MEI, desde 2013, para produção de audiovisuais". O órgão informa ainda que em relação à Lúdica Produções "também não houve nada autorizado". De acordo com a Coordenadoria, fiscais visitarão o local neste fim de semana e farão acompanhamento rotineiro de possíveis eventos irregulares marcados pela internet.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)