Conferência determina bases para proteção de área verde

Publicado em 05/12/2017 por DCI

05/12/2017 - 05h00

Conferência determina bases para proteção de área verde

O aumento em 30% das áreas de parques na cidade foi uma das propostas do evento. Foram elencadas 39 áreas verdes que podem virar áreas de lazer

Meta atual da gestão é o plantio de 200 mil novas mudas na cidade
Meta atual da gestão é o plantio de 200 mil novas mudas na cidade
Foto: Cesar Itiberê / Fotos Públicas

São Paulo - A Câmara Municipal realizou ontem (4), a 16ª Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas. Cidadãos, instituições privadas e poder público se reuniram para debater sobre gestão e proteção das áreas verdes públicas da cidade de São Paulo.

O tema desta edição "Áreas Verdes de São Paulo: ameaças e conquistas" teve como base para as discussões três pilares sobre sustentabilidade: ambiental, econômico e social. O vereador e ex-secretário do Verde e Meio Ambiente da Capital, Gilberto Natalini ministrou a palestra magna. O vereador falou sobre as ações necessárias focadas na sustentabilidade dos espaços verdes da cidade.

A perda de vegetação nativa pelo avanço urbanístico foi um dos principais problemas apontados para ser trabalhado. Para alterar esse quadro, foram propostas algumas iniciativas em uma carta-compromisso, firmada com o poder público. A intensificação da arborização foi uma delas, com o aumento de 30% de áreas de parques na cidade para atingir 15m² de áreas verdes até 2030. "Elencamos 39 áreas verdes do município que estão preparadas para virar parque. Apresentamos essas áreas e vamos cobrar o poder público quanto à implantação desses parques", afirma Natalini.

Além disso, no encontro, foi ressaltada e cobrada a meta 23 da atual gestão (2016/2020), a ser batida pela secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), que prevê o plantio de 200 mil novas mudas, com prioridade para locais com menos cobertura arbórea.

Também foi proposto melhorar a distribuição do verde na cidade. O tema está em cartilha, realizada em parceria com a Ultrafarma, distribuída pelo gabinete do vereador, para conscientização da população. "Queremos aumentar o número de munícipes plantadores de árvores e, para isso, lançamos uma cartilha sobre arborização. Já distribuímos cerca de 150 mil exemplares, do um milhão que será entregue."

Como orientação para esse aumento de arborização, os especialistas recomendam no compromisso, privilegiar espécies nativas do sistema local, focar as vias públicas com menor cobertura vegetal e realizar o aterramento da rede aérea de energia elétrica. A diminuição dos atos de vandalismo nas áreas de preservação ambiental também serão incentivados na cartilha.

Impactos na gestão

Entre as sugestões da carta-compromisso estão a recuperação e a melhoria no manejo dos 107 parques existentes e das 5.023 praças, assegurando recursos perenes no orçamento e parcerias. As árvores também foram alvo de propostas. "Sugerimos o diagnóstico fitopatológico das árvores da cidade, através de parcerias entre a Prefeitura e institutos biológicos para um programa de tratamento das danificadas. A proposta foi aceita e queremos que a Prefeitura dê início logo", disse Natalini. Para viabilizar as medida, foi proposta também a elaboração de um sistema de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA), que auxiliaria na conservação e manejo adequado por meio de atividades de uso sustentável.

Outro ponto foi o impacto de grandes obras viárias, como a do Rodoanel Norte, por exemplo, executada pela empresa Dersa. Na obra, que abrange a região de Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte, há o crescimento de ocupações irregulares em áreas de proteção ambiental. Para isso foi sugerido otimizar o programa de compensações ambientais da obra.

Beatriz Boturão

Assuntos relacionados:

sustentabilidade