Dark, uma série para quem espera a volta de Stranger things

Publicado em 05/12/2017 por Blog Patrícia Kogut

 

A Netflix anunciou que fará a terceira temporada de "Stranger things". Enquanto ela não chega, os apressadinhos que já estão morrendo de saudades da aventura com Eleven (Millie Bobby Brown) têm uma alternativa. Eles podem conferir "Dark", série alemã que acaba de chegar ao serviço de streaming. As duas histórias contabilizam muitos pontos em comum. Ambas têm um pé no sci-fi, contam com jovens em personagens centrais e tratam do sumiço de crianças. "Dark", entretanto, é mais pesada, adulta, e, como indica o título, bem sombria.

O primeiro episódio (são dez) abre com um letreiro em que se lê uma frase de Einstein: "A distinção entre o passado, o presente e o futuro é só uma ilusão". A subversão da ideia da cronologia linear pauta a história. A narrativa começa em 2019, mas ela se passa também em 1986 e em 1953. As épocas se embaralham. Essa noção de tempo diferente puxa o mistério, mas também serve para solucionar os enigmas propostos pelo enredo. A trama é ambientada em Winden, cidade de porte médio. Perto dela, fica uma usina nuclear, um lugar de acesso restrito. Quando tudo começa, nos dias atuais, a polícia procura um menino desaparecido há pouco mais de duas semanas. A cidade toda participa das buscas. Até que uma outra criança evapora na floresta. Esse garoto ressurge no passado, onde encontra os pais ainda solteiros e adolescentes. Há suspeitas de que os cientistas da usina estão envolvidos nos mistérios.

"Dark" não prima pela originalidade. Ela lembra "Stranger things", "The killing" e um monte de outras séries famosas, mas tem seu valor. O elenco é bom e a trama cativa. Eis um programa para ser visto num daqueles momentos de entressafra.