Dinheiro, emoção e realização

Publicado em 11/01/2018 por Jornal do Comércio - RS

O ano de 2018 chegou com otimismo. É hora, então, de refletir, planejar e colocar em prática os projetos. Para ter um ano mais saudável financeiramente, o primeiro passo é ter de forma clara quais são seus ganhos e gastos mensais. Parece algo extremamente simples, mas, na verdade, boa parte das pessoas não possui esse tipo de controle. Hoje, com o suporte da tecnologia, uma boa solução é o uso de aplicativos que, além de ajudar nessa tarefa, facilita o estabelecimento de metas para poupar. Afinal, o dinheiro é um meio, não um fim, e deve estar a favor da realização dos nossos objetivos e de uma vida mais tranquila.
É importante também refletir sobre nossos gastos. Se cada vez que você for comprar algo, fizer uma rápida conversão para entender quantas horas de trabalho são necessárias para adquirir aquele bem ou serviço, saberá quanto esforço foi preciso para concluir essa aquisição. E poderá avaliar melhor se o gasto realmente faz sentido para você. Precisamos ainda saber o que dispara em nós aquele impulso de consumo do qual nos arrependemos depois. Um momento de tristeza? De alegria? Quando nos presenteamos? Além de conhecer nossos impulsos, recomendo pensar sobre: "o que é importante para mim?"; "O que tem muito significado?"; "O que valorizo independentemente dos outros?".
Reflita: nesses últimos meses, quanto tempo você passou com sua família? Ou quanto tempo jogou conversa fora com os amigos? O segredo do tempo não está nas horas que passam, mas nos momentos que ficam, que, afinal, vão contar sua história. O relógio de 2018 já está correndo... Por isso, pense agora nas coisas que realmente importam para você, planeje hoje o que pode fazer para alcançar seus objetivos e, sempre que possível, revise os caminhos para realizar seus sonhos.
Superintendente de Sustentabilidade e consultor de Assessoria Financeira do Itaú Unibanco