Índia declara emergência por poluição tóxica no ar

Publicado em 09/11/2017 por O Globo

Indianos andam em rua de Nova Délhi: poluição atmosférica está muito acima de nível considerado tolerável - DOMINIQUE FAGET / AFP

NOVA DÉLHI - A capital indiana declarou emergência por poluição tóxica esta quinta-feira, após três dias seguidos com piora na qualidade do ar.

A queima de vegetação em áreas rurais ao redor de Nova Délhi, as emissões de escape de veículos e a poeira provocada pela construção civil provocaram a crise da poluição atmosférica, que piora a cada ano.

Segundo uma medição realizada pela embaixada americana, a taxa de material particulado às 10h era 608, quando o nível seguro para este horário é 50. Estas partículas de poluição são 30 vezes mais finas do que o cabelo humano, por isso podem ser inaladas e chegar aos pulmões, causando ataque cardíaco, derrame, câncer de pulmão e doenças respiratórias. Os indianos também registram sintomas como dor de cabeça, tosse e irritação nos olhos.

- Gostaria de assegurar à população de que o governo está fazendo tudo o que é possível para melhorar a qualidade do ar em Nova Délhi - afirmou o ministro do Meio Ambiente, Harsh Vardhan, diante do crescente ceticismo da população diante da suposta inércia do governo.

A cidade reduzirá o uso de automóveis na semana que vem, em uma última tentativa de limpar o ar. Os caminhões foram banidos da capital indiana, a menos que estejam carregando mercadorias essenciais. Todas as construções foram interrompidas e as tarifas de estacionamento quadruplicaram para incentivar a população a usar o transporte público. As escolas também cancelaram aulas esta semana.

Especialistas, no entanto, disseram que estas medidas provavelmente não trarão alívio imediato.

- Há uma nuvem sobre nós que possivelmente só poderá ser limpa com chuva artificial - explica o pneumologista Vivek Nangia.