Meirelles quer reduzir concessões para aprovar reforma da Previdência

Publicado em 05/02/2018 por Valor Online

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse ontem que o governo pretende aprovar a reforma da Previdência como está, mas que esta será uma semana decisiva para decidir se ocorrerão novas concessões. "O ideal é aprovar sem mais mudanças, mas estamos entrando na semana em que se começa a decidir de forma mais objetiva sobre os diversos pontos, os de maior resistência", disse. O ministro reuniu-se com o presidente Michel Temer e com o relator da reforma na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA). Segundo Meirelles, o governo quer garantir que as novas mudanças não tenham impacto significativo na economia que será feita e garantam a sustentabilidade do sistema. A decisão sobre a data e modo que será pautada a reforma são do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que não participou da reunião. Hoje, Rodrigo Maia e Arthur Maia reúnem-se para avaliar alterações ao projeto. "Vou apresentar a emenda aglutinativa com as três mudanças, se o Rodrigo quiser colocar mais algum ponto, tudo bem, eu incluo", disse o relator. Os três pontos foram anunciados ainda no ano passado: exclusão das mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC), aposentadoria rural especial e redução no tempo mínimo de contribuição de 25 pra 15 anos. Outras alterações, como a mudança na regra de transição dos servidores que entraram no funcionalismo antes de 2003, serão avaliadas. Para que essa emenda seja apresentada formalmente, contudo, será preciso que a reforma seja pautada em plenário e aberta a discussão regimental do projeto, o que não está marcado.