Mostra sobre sexualidade do Masp termina esta semana; confira outras dicas

Publicado em 10/02/2018 por IstoÉ

Histórias da Sexualidade

A mostra integra uma série de mostras promovidas desde 2017 pelo Masp em torno de temas como erotismo e gênero. A coletiva reúne mais de 300 obras de cerca de 130 artistas - como Manet, Degas e Picasso. Entre os brasileiros, Anita Malfatti, León Ferrari e Leonilson são alguns destaques. Av. Paulista, 1.578, 3149- 5959. 10h/18h (5ª, 10h/20h; fecha 2ª). R$ 30 (3ª, grátis). Até 4ª (14).

Ready Made in Brasil

A coletiva aborda a influência de Duchamp na arte brasileira. São cerca de 150 obras de 50 artistas. Dos anos 1960, por exemplo, há os 'Popcretos', de Augusto de Campos e Waldemar Cordeiro; um exemplar de 'Bólide', de Hélio Oiticica; e uma série de obras de nomes como Nelson Leirner e Lygia Clark. Centro Cultural Fiesp. Av. Paulista, 1.313, metrô Trianon- Masp. 10h/22h (dom., 10h/ 20h; fecha 2ª). Grátis. Até dom. (11).

Guerrilla Girls

Conhecido pelo ativismo feminista, o coletivo americano exibe mais de cem cartazes produzidos nos últimos 30 anos. Masp. Av. Paulista, 1.578, metrô Trianon-Masp, 3149-5959. 10h/18h (5ª, 10h/20h; fecha 2ª). R$ 30 (3ª, grátis). Até 4ª (14).

Una Shubu Hiwea - Livro Escola Viva do Povo Huni Kuin do Rio Jordão

A mostra destaca a arte, a história e a sabedoria dessa etnia indígena, habitante da floresta amazônica do Acre. Desenvolvida por pajés, pela editora Anna Dantes, pelo artista Ernesto Neto e pela equipe do Itaú Cultural, a mostra ocupa dois andares do instituto com criações dos indígenas. Há itens como cerâmicas, cestaria, tecelagens e outras artes feitas para a exposição. Av. Paulista, 149, metrô Brigadeiro, 2168-1776. 9h/20h30 (sáb. e dom., 11h/20h; fecha 2ª). Grátis. Até 3ª (13).

RECOMENDADAS

Casas de Vidro

A exposição relaciona casas de vidro projetadas por Philip Johnson, Charles e Ray Eames e Mies Van Der Rohe, nos Estados Unidos, com a residência do casal Bardi, no Brasil. Há, por exemplo, imagens dos projetos, maquetes inéditas e textos explicativos. Casa de Vidro Lina Bo Bardi. R. Gal. Almério de Moura, 200, V. Morumbi, 3744-9902. 5ª a dom., 10h15, 11h15, 13h30, 14h30 e 15h30. R$ 20. Até 4/3.

Julio Le Parc: da Forma à Ação

O Instituto Tomie Ohtake recebe retrospectiva do argentino, conhecido como um dos pioneiros da arte cinética. Com curadoria de Estrellita B. Brodsky, a mostra exibe mais de cem trabalhos do artista. Av. Brig. Faria Lima, 201, Pinheiros, 2245-1900. 11h/20h (fecha 2ª). Fecha de sáb. (10) a 3ª (13). Grátis. Até 25/2.

MAM

O museu recebe duas exposições. A primeira delas, 'Oito Décadas de Abstração Informal', reúne obras de 38 artistas ligados ao movimento, como Maria Martins, Tomie Ohtake e Iberê Camargo. A outra mostra do espaço, 'Mira Schendel: Sinais/Signals', ocupa a Sala Paulo Figueiredo com mais de cem trabalhos da artista suíça. Pq. Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3, 5085-1300. 10h/18h (fecha 2ª). Até 22/4.

Rodrigo Andrade: Pintura e Matéria (1983-2014)

Com curadoria de Taisa Palhares, a retrospectiva reúne mais de cem obras do paulistano. Conhecido nos anos 1980 pela ligação com o neoexpressionismo, o artista tem a obra marcada pelo acúmulo de tinta e o uso de elementos como papelão e madeira. A mostra traz desde criações daquele período inicial até uma intervenção pictórica criada para o local da mostra. Estação Pinacoteca. Lgo. Gal. Osório, 66, metrô Luz, 3335- 4990. 10h/18h (fecha 3ª). R$ 6. (sáb., grátis). Até 12/3.