SUS: situação é crítica e inaceitável

Publicado em 06/12/2017 por Jornal da Cidade - Sergipe

Mutirão

O JORNAL DA CIDADE divulgou ontem com exclusividade que hoje em Sergipe existem mais de dois mil sergipanos na fila do SUS, aguardando por cirurgias eletivas (aquelas sem urgência). Destas, cerca de mil pessoas estão na fila do Hospital Cirurgia. A situação é crítica e inaceitável. Alguma medida urgente precisa ser tomada. Governo do Estado e prefeitura poderiam realizar um mutirão, convocar médicos ou algo similar. Já passou da hora de se sensibilizar com essas pessoas e tomar uma atitude.

 

Habeas corpus

Há rumores de que a defesa da jornalista Ana Alves tenha optado por não apresentar o pedido de habeas corpus durante o fim de semana porque os promotores e magistrados de plantão seriam considerados "duros". Por isso, teriam deixado para protocolar o pedido de liberdade segunda. Se foi isso mesmo, não adiantou nada. Sua prisão preventiva foi mantida pelo desembargador Diógenes Barreto.


Só querem roubar 1
Não sai da memória dos sergipanos a frase lapidar do então vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado (PSDB), que durante uma entrevista disse que alguns secretários do ex-prefeito João Alves Filho (DEM) só queriam saber de roubar. E eis que agora Machado é investigado pelo Ministério Público. Ele possuía 85 cargos comissionados trabalhando em seu gabinete, onde não caberiam oito. 
 
Só querem roubar 2
O MP apura se havia funcionários fantasmas, que recebiam sem trabalhar, e se alguns desses fantasmas estariam devolvendo os salários a gestores públicos. Tudo isso faz parte da Operação Caça-Fantasmas, um desmembramento da Operação Antidesmonte. Alguns ex-secretários, que não engoliram as declarações do então vice-prefeito, acham justo que ele seja investigado agora. E Machado ainda pensa em disputar a eleição no próximo ano.

Sem ficha-limpa 1
Muita gente acha que o próximo ano será um tempo de renovação eleitoral. Os mais céticos discordam. Isso porque os políticos que possuem maior "estrutura" política, recursos financeiros e currais eleitorais já largaram na frente. Eles estão firmes em seus projetos, ignorando o fato de estarem sendo processados, acusados dos mais diversos crimes. Será difícil tirar o mandato deles. 

Sem ficha-limpa 2
Há uma falta generalizada de candidatos com ficha limpa para disputar os cargos mais importantes de Sergipe. A maior parte dos nomes mais fortes responde na Justiça por corrupção e crimes contra a administração pública. Resta saber se a população vai mantê-los no poder. E resta saber se a Justiça e os órgãos fiscalizadores irão fazer suas partes, vetando a participação dos nomes sujos no processo eleitoral.

Frigoríficos ou feiras 1
Com a chegada de um grande frigorífico a Sergipe, comandado por um forte grupo econômico local, a imprensa retoma a pauta sobre a venda de carnes nas feiras. Cerca de 80% do que é comercializado não é carne certificada, segundo alguns órgãos. Mas uma consumidora lembrou à coluna: comprar carne em supermercados, dos grandes frigoríficos, não é garantia de qualidade. 
 
Frigoríficos ou feiras 2
Afinal, ela lembra da Operação Carne Fraca, onde grandes frigoríficos reaproveitavam carnes fora da validade, aplicando produtos químicos, entre outras coisas. Não faltam também suspeitas de consumidores de que, em supermercados, carnes embaladas e prontas para venda tenham sua embalagem e etiqueta com data de validade trocadas, quando do vencimento delas. Alguém duvida?

Dança das cadeiras 2
Belivaldo Chagas assume o governo e deixará livre a Casa Civil. Serão assim quatro pastas importantes que ficarão vazias. Resta saber se elas serão preenchidas por indicações políticas dos secretários que deixarão as pastas para candidatar-se. E se serão usadas como apêndices para projetos eleitorais. A Justiça Eleitoral precisa ficar de olho. 

Filiação 1
Ontem, o partido Rede de Sustentabilidade expôs os nomes disponíveis para compor o quadro de pré-candidatos ao pleito de 2018. Para esta coluna, Dr. Emerson Ferreira, que já havia sinalizado como possibilidade para o cargo de governador, avisou que a sigla pode receber qualquer pessoa interessada, desde que cumpra o "Estatuto da Rede".
 
Filiação 2
Dr. Emerson afirmou que para fazer a filiação na Rede o político que já possui mandato, por exemplo, deve seguir à risca os pré-requisitos. "A gente aceita nomes de políticos que tenham mandato, mas devem cumprir o estatuto. Ou seja, pessoas que não estejam sendo processadas, indiciadas, sem denúncia de peculato, corrupção, improbidade administrativa ou abuso econômico", alertou.

Vai julgar
O Pleno do Tribunal de Justiça deverá julgar hoje o pedido de afastamento do deputado estadual Tijoi Barreto (PR) - mais conhecido como Adelson Barreto Filho. O parecer do procurador-geral de Justiça, Rony Almeida, é pelo afastamento do deputado, o que pode levar o 3º suplente Daniel Fortes (PEN) a assumir o mandato.