Tem que doer, diz diretor da Globo sobre suspensão de William Waack

Publicado em 04/12/2017 por Notícias da TV

Reprodução/TV Globo

José Mayer e William Waack foram suspensos da Globo após acusações de assédio e racismo - Reprodução/TV Globo

José Mayer e William Waack foram suspensos da Globo após acusações de assédio e racismo

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 04/12/2017, às 05h27

Diretor de comunicação da Globo, Sergio Valente defende a suspensão do ator José Mayer e do jornalista William Waack, acusados de assédio sexual e de racismo, respectivamente. Em entrevista exclusiva ao Notícias da TV, Valente diz que a emissora tem um compromisso social a cumprir, mesmo quando colocá-lo em prática é doloroso.

"A Globo tem uma missão, que está escrita há muito tempo, um compromisso que ela assumiu como empresa. De respeitar a diversidade, o talento, essa tremenda cor brasileira. Para ser respeitoso com o que você é e com o que pretende ser, tem que doer quando precisa doer", fala Valente.

Como diretor de comunicação, Valente é responsável pela imagem da Globo e, consequentemente, por dar respostas rápidas em situações que podem comprometê-la, como as que envolveram Mayer e Waack.

José Mayer foi suspenso em abril depois de ter sido acusado pela figurinista Su Tonani de assédio sexual: ela afirmou que o ator tocou em suas partes íntimas no camarim durante as gravações de A Lei do Amor.

Ele admitiu que errou em nota divulgada à imprensa e foi afastado por tempo indeterminado das novelas da Globo, mas continua contratado pela emissora.

Já William Waack foi suspenso no início de novembro após a divulgação, nas redes sociais, de um vídeo do ano passado no qual o jornalista fazia comentários racistas no intervalo de um link ao vivo diretamente de Washington. Ele xingava o motorista de um carro que buzinava na rua e disse que a atitude "é coisa de preto".

 No discurso de Valente, a suspensão dos dois profissionais, figuras importantes dentro da Globo, reforçam o compromisso da emissora com sua missão e seus valores.

"Tudo o que a emissora faz está alinhado com a rota de onde a gente quer chegar. A gente quer ser maior, muito melhor, um ambiente onde as pessoas se encontram, um lugar que traga as pessoas, onde os talentos queiram trabalhar. E a gente só vai conseguir isso sendo respeitoso", afirma.

O diretor de comunicação marcou presença na última quinta (30) no Mobilize!, retrospectiva social da Globo, que relembrou ações promovidas pela emissora em 2017 nos âmbitos de educação, juventude, qualidade de vida, sustentabilidade e direitos humanos. Não citados nominalmente como pilares, o empoderamento feminino e a luta contra o racismo foram temas frequentes na festa.

"Uma vez, nós fizemos uma apresentação fora do Brasil e criamos uma expressão que eu acho muito boa, que é good mob; ou seja, mobilizar a sociedade para coisas boas, bacanas. Tem muita gente por aí que sabe o que precisa ser feito, a Globo só sabe comunicar. Então, vamos usar nossa capacidade de comunicação para mobilizar", encerra Valente, que deixa claro que o bom exemplo não fica apenas nas palavras, mas passa para as ações. Mesmo que elas doam.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.