Volume do Açude Boqueirão sobe três centímetros após registro de chuvas

Publicado em 09/01/2018 por Jornal da Paraíba

Volume do Açude Boqueirão sobe três centímetros após registro de chuvas

Reservatório tinha registrado queda de 2 cm depois do desligamento de uma das bombas da transposição.




Açude Epitácio Pessoa (Boqueirão) na manhã desta terça-feira (9). Divulgação: Felipe Valentim/Tv Paraíba.

Depois de registrar uma redução de 2 centímetros em seu volume hídrico durante dois dias, o açude Epitácio Pessoa, conhecido como Boqueirão, voltou a acumular água, aumentando o seu nível em 3 cm, segundo Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (AESA). O crescimento aconteceu após o registro de chuvas nesta segunda-feira (8), no município de Barra de São Miguel, área afluente do manancial.

A redução no reservatório havia sido registrada devido o desligamento de uma bomba em uma das estações elevatórias no percurso da transposição do São Francisco. Segundo o gerente de monitoramento e hidrometria da AESA, Alexandre Magno, a queda no volume hídrico do açude foi registrada durante na última semana. "A redução da água  aconteceu do sábado (6) para o domingo (7), devido a queda da vazão gerada pelo desligamento de uma das bombas para manutenção em uma das estações elevatórias da obra. A vazão já está normalizada e o açude acabou aumentando o volume hídrico de maneira antecipada em ocorrência das chuvas registradas ontem", comentou.

>>> Boqueirão acumula recarga hídrica de 27,1 milhões de m³ após oito meses

A redução registrada no açude, segundo Alexandre Magno, havia sido de 150 mil metros cúbicos de água. Na sexta-feira (5) o manancial acumulava 39,769 milhões de m³, o que corresponde a 9,66% de sua capacidade, enquanto que no domingo (7) o volume era de 39,619 mi m³, o equivalente a 9,62%. A medição feita pela AESA no reservatório  é realizada diariamente e foi observada a partir do sábado (6). A recarga hídrica registrada nesta terça-feira (9) em ocorrência das chuva foi de 225 mil m³, o que possibilitou o aumento do nível para 9,68%.

Manutenção

O gerente de monitoramento e hidrometria da AESA explicou que o processo de manutenção nos trechos da transposição do São Francisco é considerado normal e que pode voltar a ocorrer. "É importante as pessoas terem consciência que o projeto ainda não foi concluído, a obra ainda passa por procedimentos de montagem e manutenção. Isso requer em algumas situações a paralisação do serviço e pode voltar a acontecer, uma vez que o sistema está sendo melhorado", ressaltou Alexandre Magno.

Chuvas

As chuvas em Barra de São Miguel na segunda-feira foram na área rural do município e por essa razão o volume da precipitação não foi  registrado pelo pluviômetro da AESA. A Prefeitura da cidade confirmou o registro das chuvas nos Distritos de Floresta e Riachos Fundos, que ficam distante cerca de 30 quilômetros da cidade.