2020: ano de recuperação da pecuária paraguaia

Publicado em 30/08/2019 por Beef Point

O ano de 2020 será uma recuperação para a produção e o comércio de carne bovina no Paraguai, graças a uma maior oferta de animais. Isso decorre das projeções dos técnicos do USDA de Buenos Aires em seu relatório anual sobre a criação de gado no Paraguai.
O relatório observou que o rebanho de gado paraguaio fechará 2019 com 13,8 milhões de cabeças, 300.000 animais a mais que no ano anterior e o primeiro aumento desde 2014.
Os técnicos previram que em 2020 os abates chegarão a 2,4 milhões de cabeças, um aumento de 5% em relação a este ano. Desse total, 1,9 milhão de cabeças serão abatidas nas 17 instalações de refrigeração paraguaias autorizadas para exportação.
A produção de carne bovina no próximo ano será de 560.000 toneladas de peso de carcaça, o que implica um crescimento de 6% em relação a 2019 e em um volume semelhante a 2018.
Para este ano, estima-se uma produção da ordem de 530.000 toneladas, queda de 5% em relação a 2018 e no menor volume em seis anos, devido ao efeito das inundações registradas entre março e maio.
O relatório observou que a rentabilidade dos produtores de gado em 2019 será “significativamente menor” do que no ano anterior, devido a uma queda de 15% no preço do gado medido em dólares.
No primeiro semestre de 2019, o preço de exportação FOB da carne paraguaia caiu 8% em relação ao mesmo período do ano passado.
Até 2020, os técnicos do USDA previam um volume de exportações de carne bovina de 350.000 toneladas, uma expansão de 9% em relação ao ano anterior devido ao aumento da produção e ao consumo doméstico estabilizado.
Chile, Rússia, Taiwan e União Europeia continuarão sendo os principais destinos de exportação, embora o Paraguai trabalhe para obter acesso a novos mercados, como Estados Unidos e Japão. Além disso, espera se beneficiar do acordo do Mercosul com a União Europeia para aumentar suas exportações para o bloco.
Fonte: El Observador, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.