Agricultores do interior investem na produção de pimentões coloridos

Publicado em 10/06/2021 por G1

Em uma lavoura bem cuidada, os pimentões coloridos chegam a pesar 600 gramas. Para ficar graúdo demora, em média, três meses. O Nosso Campo deste domingo (6) visitou a propriedade do casal agricultor Luciano Capana e Angela Malaspina Capana, em Tabatinga (SP), que possui seis mil pés de pimentão. Lá, eles cultivam o verde, o amarelo e o vermelho. A safra dura o ano inteiro e a colheita é semanal, o que garante o sustento da família. A região de Itápolis (SP) é uma das maiores produtoras de pimentão do estado, com mais de 100 famílias que migraram da laranja para o pimentão em meados de 2010, quando aconteceu a crise da laranja no campo. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 06/06/2021) A mudança brusca de temperatura nessa época do ano não é a mais favorável para o cultivo dos pimentões. O que mantém a produção em alta na lavoura do casal são as estufas que servem de proteção. Há três anos, Luciano está investindo na recuperação do solo para manter a terra em boas condições. Já a família de Gilberto sobrevive da colheita da mesma hortaliça e também planta três tipos. São cerca de dois mil pés de pimentão, cada cor é uma espécie e com tempo de colheita diferente. O verde dá para colher em poucos meses, o amarelo e o vermelho ficam mais tempo no pé, até atingirem a coloração por completo. No local, eles trabalham no combate ao "vira cabeça", um bichinho minúsculo, mas que é capaz de acabar com toda a lavoura. Apesar dos prejuízos registrados nos últimos meses, a família não pensa em desistir do cultivo. Cada caixa, com 10 quilos de pimentão amarelo ou vermelho, hoje é vendida a R$ 50. O verde é mais barato, com a caixa girando em torno de R$ 30. A hortaliça, que é usada em diferentes culinárias do mundo inteiro, segue firme sustentando a vida no campo e abastecendo várias regiões do estado. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais