Alunos da UFPA produzem longa

Publicado em 08/11/2018 por Diário do Pará Online

Em um futuro distópico, durante o último dia que antecede o apocalipse, em meio à implementação de um governo totalitarista e a alienação social, um grupo de jovens decide burlar o toque de recolher para escapar do tédio de suas vidas. E têm seus destinos entrelaçados no melhor lugar para estar no fim do mundo. Esse é o enredo do longa-metragem "A Besta Pop", que entra em cartaz no Cine Líbero Luxardo nesta quinta e pode ser visto até o dia 14, sempre às 20h, sendo que hoje a entrada é gratuita.

O longa foi produzido pelo coletivo Inovador Talvez Filmes, formado por estudantes do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Pará, e teve parte de seu orçamento obtido através do site de financiamento coletivo Catarse. Também ganhou o V Prêmio Proex de Arte e Cultura, concedido pela UFPA, que foi investido na pós-produção do filme. A realização contou com a parceria das produtoras locais Cabocla Produções, Visionaria Filmes e Gruta Filmes.

"Após a realização de alguns curtas, sentimos a necessidade de um passo além e romper com o paradigma de que é impossível fazer um longa com baixíssimo orçamento", diz Tamires Ceci, produtora executiva do filme ao lado de João Luciano.

Artur Tadaiesky, Fillipe Rodrigues e Rafael B. Silva assinam a direção do longa, uma ficção científica em uma cidade neorrealista que ambienta as três histórias contadas: um grupo de adolescentes que viola o toque de recolher para assistir ao show da banda favorita, dois jovens de classes distintas que não sabem lidar com seus medos interiores e uma jovem documentarista que está registrando o trabalho da mãe, que limpa locais de festas, e seu amigo, que atende a potenciais suicidas por telefone para esquecer de sua vida miserável. Os destinos destas pessoas se encontram em uma festa, na noite que antecede a tomada do poder por um regime totalitário.

O filme, iniciado em 2016, tem figurino, cabelos e um espírito com influência oitentista, que teve como referências produções como "Akira", de Katsuhiro Otomo, e "Blade Runner", de Ridley Scott.

A equipe de produção apostou em talentos locais, do roteiro à finalização. O longa movimentou mais de 150 pessoas, entre profissionais e estudantes das diversas áreas artísticas, e mais de 25 locações durante as 29 diárias de filmagens.

"O audiovisual está crescendo na nossa região e esperamos que 'A Besta Pop' possa contribuir para que mais projetos assim aconteçam. Mas o mais importante é aproximação com o público, que não está acostumado a se ver na tela", conta Tamires.

 

(Aline Rodrigues/Diário do Pará)