Brasileira Petrobras põe à venda a sua participação na subsidiária de biodiesel

Publicado em 04/07/2020 por Observador

A petrolífera estatal brasileira Petrobras pôs à venda a sua participação na subsidiária de biodiesel, no âmbito do plano de desinvestimento que decorre há três anos para enfrentar a crise financeira.
Biopetro.jpg
A petrolífera estatal brasileira Petrobras anunciou esta sexta-feira o início do processo de venda da sua participação na subsidiária de produção de biodiesel, como parte do plano de desinvestimento que desenvolve há três anos para enfrentar problemas financeiros.
A subsidiária Petrobras Biodiesel (PBIO), que conta com cinco fábricas no país, é uma das maiores produtoras do combustível no país sul-americano.
Segundo a empresa, a oferta inclui apenas três das cinco unidades, localizadas nos estados de Minas Gerais (sudeste), Bahia e Ceará (nordeste).
A participação da Petrobras nas outras duas fábricas (BSBIos e Bambuí Bionergía) será vendida separadamente, explicou a empresa.
A Petrobras possui 50% das ações da BSBIos e uma participação de 8,4% na Bambuí.
A PBIO foi fundada em 2008 e possui uma capacidade de produção de 580.000 metros cúbicos, o que lhe garantiu uma participação de mercado de 5,5% em 2019.
Segundo a Petrobras, as três unidades oferecidas são capazes de utilizar uma mistura de até cinco matérias-primas diferentes (soja, algodão e óleo de palma, gordura animal e óleos residuais) para a produção de biodiesel, captando vantagens na dinâmica sazonal dos preços.
Desde março, a empresa estatal já lançou várias ofertas para venda de poços de petróleo terrestres e marítimos, assim como a sua participação na empresa de gás Gaspetro e ativos em empresas de energia elétrica.
O plano de desinvestimento iniciado pela empresa estatal há três anos permitiu-lhe arrecadar um recorde de 16,3 mil milhões de dólares (14,5 mil milhões de euros) no ano passado.
Devido à venda desses ativos, o investimento da Petrobras aumentou de 13,4 mil milhões de dólares (11,9 mil milhões de euros) em 2018 para 27,4 mil milhões de dólares (2,3 mil milhões de euros) em 2019, incluindo 16,7 mil milhões de dólares (14,8 mil milhões de euros) em direitos para explorar áreas de interesse da empresa.