Cadeia Velha: PF cumpre condução coercitiva de Jorge Picciani, e procuradores pedem sua prisão

Publicado em 14/11/2017 por O Globo

Jorge Picciani na Alerj - Domingos Peixoto / Agência O Globo

RIO - A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta terça-feira, um mandado de condução coercitiva contra o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB). Mas os procuradores regionais da República responsáveis pela operação Cadeia Velha pedem ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), fórum competente para o caso, que considere flagrantes os crimes atribuídos a ele e aos deputados Paulo Melo e Edson Albertassi. Se o pedido for acolhido pela Justiça, o presidente da Alerj poderá ser preso.

Picciani, Melo e Albertassi só não foram presos nesta terça porque a Constituição estadual, no Artigo 120, estabelece como única possibilidade de prisão provisória o flagrante de crime inafiançável, à exceção de casos com licença prévia da Alerj. Mas as três prisões não estão descartadas. A Procuradoria Regional da República da 2ª Região (PRR-2) pediu as prisões preventivas e em flagrante dos parlamentares ao TRF-2, solicitando também o afastamento imediato de suas funções políticas na Assembleia.

Os procuradores sustentam que o flagrante existe porque o trio de parlamentares comete até hoje crime continuado de lavagem de dinheiro, já que o esquema não cessou, de acordo com a investigação. Este pedido será submetido pelo relator do caso, desembargador Abel Gomes, ao colegiado da Seção Criminal do TRF-2, formada pelos seis desembargadores das turmas de Direito Penal, em sessão ainda nesta quinta-feira.

CAIXINHA DE PROPINA

Deputados estaduais, empresários e intermediários são acusados de manter uma caixinha de propina destinada à compra de decisões na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) para o setor de transportes. O esquema, concluíram os investigadores, teria começado nos anos 1990, com o então deputado estadual Sérgio Cabral, e hoje seria comandado pelo presidente da Casa, deputado Jorge Picciani, por seu antecessor, deputado Paulo Melo, e pelo líder do governo Edson Albertassi, caciques do PMDB fluminense.

A PF cumpre mandados de condução coercitiva contra os três deputados e contra Alice Brizola Albertassi. Há ainda mandados de prisão temporária de Felipe Picciani, filho do presidente da Alerj e gerente da Agrobilara, empresa que gere os negócios da família. Serão presos temporariamente Ana Claudia Jaccoub, Marcia Rocha Schalcher de Almeida e Fabio Cardoso do Nascimento.

Os agentes também vão prender, em caráter preventivo, Jorge Luiz Ribeiro, Carlos Cesar da Costa Pereira, o Carlinhos da Art Sul, o ex-presidente da Fetranspor Lélis Teixeira e os empresários de transportes Jacob Barata Filho e José Carlos Lavouras. Barata Filho e Lélis Teixeira já haviam sido presos na Operação Ponto Final, da qual decorre a Cadeia Velha.

Nesta terça-feira, a Polícia Federal e a Procuradoria Regional da República da 2ª Região (PRR-2) lançaram a mais importante ofensiva contra a corrupção no Rio desde a prisão do ex-governador Sérgio Cabral, em novembro do ano passado.

OUTRO LADO

Em nota, a defesa do empresário Jacob Barata disse que "não teve acesso ao teor da decisão que originou a operação de hoje da Polícia Federal e, por isso, não tem condições de se manifestar a respeito". A defesa acrescentou ainda que "pedirá o restabelecimento das medidas que foram ordenadas pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, que já decidiu que a prisão preventiva do empresário é descabida e pode ser substituída por medidas cautelares, que vêm sendo fielmente cumpridas desde então."

Mandados de prisão
Lista de pedidos de incluem pessoas ligadas a Jorge Picciani, Paulo Melo e à Fetranspor
Ligado a jorge picciani
Ligados AO DEPUTADO PAULO MELO
Felipe Picciani
Fábio Cardoso
do Nascimento
Andréia Cardoso
do Nascimento
Prisão temporária
Prisão temporária
Prisão Preventiva
Filho de Jorge Picciani e gerente da Agrobilara, a empresa que conduz os negócios da família
Chefe de gabinete do deputado Paulo Melo
Irmão de Andréia Cardoso e também assessor de Paulo Melo
Ligados à Fetranspor
jacob barata filho
lelis teixeira
José carlos lavouras
Prisão preventiva
Prisão preventiva
Prisão preventiva
Presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio (Fetranspor)
Empresário do setor de transportes no Rio. Conhecido como o "Rei do Ônibus"
Empresário e ex-presidente do Conselho de Administração da Fetranspor
Mandados de prisão
Lista de pedidos de incluem pessoas ligadas a Jorge Picciani, Paulo Melo e à Fetranspor
Ligados a jorge picciani
Felipe Picciani
Prisão temporária
Filho de Jorge Picciani e gerente da Agrobilara, a empresa que conduz os negócios da família
Ligados AO DEPUTADO PAULO MELO
Andréia Cardoso
do Nascimento
Prisão preventiva
Chefe de gabinete do deputado Paulo Melo
Fábio Cardoso
do Nascimento
Prisão Temporária
Irmão de Andréia Cardoso e também assessor de Paulo Melo
Ligados À Fetranspor
jacob barata filho
Prisão preventiva
Empresário do setor de transportes no Rio. Conhecido como o "Rei do Ônibus"
lelis teixeira
Prisão preventiva
Presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio (Fetranspor)
José carlos lavouras
Prisão preventiva
Empresário e ex-presidente do Conselho de Administração da Fetranspor