Comunidades do Pará e Tocantins conhecem programas ambientais do Projeto Novo Estado

Publicado em 05/11/2020 por Gaby Comunicação

Comunidades do Pará e Tocantins conhecem programas ambientais do Projeto Novo Estado

Engie.jpg

Lideranças de órgãos públicos municipais, representantes de comunidades, órgãos de assistência social e associações de moradores estão conhecendo de perto os Programas Ambientais do Projeto Novo Estado, que envolve a implantação de sistemas de transmissão de energia elétrica. A ENGIE Brasil Energia deu início às reuniões dos comitês sociais para apresentações dos programas, fundamentais para a proteção do meio ambiente nas áreas de influência direta do empreendimento, que incluem distritos e localidades nos 24 municípios atendidos pelo projeto nos estados do Pará e Tocantins.

As reuniões acontecem desde outubro sob a responsabilidade da equipe de comunicação socioambiental do Projeto Novo Estado. Os primeiros encontros foram em Eldorado do Carajás, Xinguara, Floresta do Araguaia, Novo Repartimento, Anapu, Pacajá, Itupiranga, e Curionópolis, no Pará e em Colmeia e Bernardo Sayão, no Tocantins.

Os encontros acontecerão a cada três meses com objetivo de apresentar os programas que são desenvolvidos no âmbito do empreendimento, acompanhar o andamento das obras e tirar dúvidas dos integrantes dos Comitês Sociais. Nas primeiras reuniões, houve apresentação do empreendimento e dos programas inseridos no Plano Básico Ambiental (PBA), aprovados pelo IBAMA.

Para a equipe socioambiental da ENGIE Brasil Energia, o maior objetivo é criar um canal de comunicação e interação com os municípios por onde passam as linhas de transmissão do projeto.

Com a implantação do empreendimento, algumas mudanças são realizadas nas localidades interceptadas pelas linhas de transmissão. Os programas e ações ambientais buscam evitar, mitigar ou compensar possíveis transtornos e potencializar os benefícios que o projeto traz para os municípios.                                                                            

Dentro do PBA há, por exemplo, o Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Nos canteiros de obras, por exemplo, são instaladas baias e coletores identificados para descarte de reciclados e resíduos contaminados. No caso dos reciclados, os destinos são cooperativas, e os contaminados vão para empresas licenciadas fazerem o tratamento devido. Todo o gerenciamento feito por inspetores ambientais e coordenadores da ENGIE Brasil Energia é baseado em normas federais e estaduais, para verificar se as baias e coletores estão atendendo à legislação.

O PBA estuda ainda as interferências nas comunidades, para um diagnóstico de vulnerabilidade e seleção de grupos prioritários que recebem alguns programas específicos, como o Programa de Educação Ambiental, voltado para grupos sociais e trabalhadores das obras. Este Programa promove ações educativas com participações individuais e coletivas na gestão sustentável do uso dos recursos naturais, além de compreender ações que contribuem para a sustentabilidade na relação das comunidades e trabalhadores com os empreendimentos e ambiente local.

Segundo Milena Rocha Nunes responsável pela comunicação socioambiental da empresa Ambientare, que executa a atividade para a ENGIE Brasil Energia, dentro do Projeto Novo Estado, “houve um retorno positivo das reuniões, com muita participação dos envolvidos e ótimos canais de comunicação integrados”.

Sobre a ENGIE

A ENGIE é a maior empresa privada de energia do Brasil, atuando em geração, comercialização e transmissão de energia elétrica, transporte de gás e soluções energéticas. Com capacidade instalada própria de 10.211MW em 61 usinas, o que representa cerca de 6% da capacidade do país, a empresa possui quase 90% de sua capacidade instalada no país proveniente de fontes renováveis e com baixas emissões de GEE, como usinas hidrelétricas, eólicas, solares e biomassa.

Com a aquisição da TAG, a ENGIE é agora também detentora da mais extensa malha de transporte de gás natural do país, com 4.500 km, que atravessam 10 estados e 191 municípios.

Além disso, o Grupo atua no Brasil na?comercialização de energia no mercado livre e está entre as maiores empresas em geração fotovoltaica distribuída. A empresa possui ainda um portfólio completo em soluções integradas responsáveis por reduzir custos e melhorar infraestruturas para empresas e cidades, como eficiência energética, monitoramento e gerenciamento de energia, gestão de contratos de fornecimento de eletricidade, iluminação pública,?sistemas de HVAC, telecomunicação, segurança e mobilidade Urbana. Contando com 2.750 colaboradores, a ENGIE teve no país em 2019 um faturamento de R$ 10,5 bilhões.

A ENGIE é referência mundial?em energia e serviços de baixo carbono. Nosso propósito (“raison d’être”) é agir para a aceleração da transição para um mundo neutro em carbono, através do consumo reduzido de energia e de soluções mais sustentáveis, conciliando performance com um impacto positivo sobre as pessoas e o planeta. A ENGIE se apoia nas suas atividades chave (gás, energia renovável, serviços) para oferecer soluções competitivas aos nossos clientes. Com nossos 170.000 colaboradores, clientes, parceiros e stakeholders, somos uma comunidade de Construtores Imaginativos, comprometidos a cada dia com um progresso mais harmonioso.

Receita em 2019: 60,1 bilhões de Euros. O Grupo é negociado nas bolsas de Paris e Bruxelas (ENGI) e representado nos principais índices financeiros (CAC 40, DJ Euro Stoxx 50, Euronext 100, FTSE Eurotop 100, MSCI Europe) e índices não-financeiros (DJSI World, DJSI Europe e Euronext Vigeo Eiris - World 120, Eurozone 120, Europe 120, France 20, CAC 40 Governance).