Justiça bloqueia R$ 185 mi de empresa da Vale e demais envolvidas em queda de ponte no Pará

Publicado em 11/04/2019 por O Globo

Depois da tragédia em Brumadinho, a mineradora Vale enfretará mais problemas, desta vez no Pará. A Justiça do Estado bloqueou R$ 185 milhões da Biopalma, que pertence à Vale, e de outras companhias responsabilizadas pela ponte que caiu sobre o Rio Moju, na região metropolitana de Belém, sábado passado. Parte da estrutura desmoronou depois de ser atingida por uma balsa contratada pela Biopalma para transportar bagaço de dendê. O produto foi vendido para a Jari Celulose, que também foi atingida pela medida judicial.
O bloqueio foi determinado pela 5ª Vara da Fazenda Pública do Pará a pedido do governo do Estado. A decisão apontou diversas ilegalidades envolvendo as empresas. A Biopalma não tinha autorização legal para praticar esse tipo de comércio. Além disso, estava proibida pela capitaneia nos portos a navegação naquele horário no rio Moju.
Além do bloqueio, a justiça determinou que as empresas arquem com os custos de transportes dos passageiros que agora precisam usar balsas para se deslocar. A logística de transporte que era feita pela ponte do complexo Alça Viária, agora está sendo realizada pelo rio. A estrutura era uma das principais ligações entre Belém e cidades do interior do estado.   
"A nosso pedido, a Justiça acaba de decretar o bloqueio de R$ 185 milhões das contas dos responsáveis pelo acidente que derrubou parte da Ponte do Rio Moju", escreveu o governdo do Pará, Helder Barbado em uma rede social.