Preços mundiais dos alimentos sobem catalisados pelos lacticínios

Publicado em 13/03/2019 por Revista Grande Consumo

Os preços mundiais dos alimentos subiram em fevereiro, com o índice da FAO situado nos 167,5 pontos, 1,7% mais que em janeiro, catalisado pelos fortes aumentos dos lacticínios.
Deste modo, o índice encontra-se atualmente no nível mais alto desde agosto, embora esteja quase 2,3% abaixo do valor registado no mesmo mês do ano passado, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura.
Os preços dos produtos lácteos aumentaram 5,6% face a janeiro, impulsionados pela forte procura de leite desnatado em pó, leite inteiro em pó e queijo. A esperada descida sazonal da produção de manteiga contribuiu também para a subida dos preços.
O índice de preços dos cereais alcançou quase 169 pontos, o que representa um ligeiro aumento face a janeiro, devido à firmeza dos preços do milho.
Por seu turno, o índice de preços dos óleos vegetais aumentou 1,8%, para os 133,5 pontos, atingindo o seu nível mais elevado desde outubro de 2018. A subida em fevereiro deveu-se aos preços mais altos no óleo de palma, soja e girassol.
O índice de preços da carne subiu ligeiramente, apoiado pelo aumento das cotações na carne de bovino e porco.
Finalmente, o índice de preços do açúcar aumentou 1,2% desde janeiro, devido às incertezas quanto às perspetivas de produção em alguns dos principais países produtores.