São Paulo e Minas lideram ranking de melhores práticas na educação

Publicado em 07/12/2017 por O Globo

SÃO PAULO - Os estados de São Paulo e Minas Gerais lideram o ranking da segunda edição do Índice de Oportunidade da Educação Brasileira (IOEB), divulgado na manhã desta quinta-feira, pelo Centro de Liderança Pública (CLP). Os dois estados receberam notas 5,3 e 5,1 em uma escala de zero a 10, que avalia políticas públicas adotadas por municípios brasileiros na gestão de recursos e oportunidades de formação oferecidas a professores, por exemplo. Apesar do fraco desempenho do Nordeste, o Ceará tem sete cidades - com Sobral no topo - das 184 do estado, entre as dez primeiras da lista. O levantamento é uma parceria do CLP com a Fundação Roberto Marinho, Institutos Península e Natura e Fundação Lemann.

A diretora-executiva do CLP, Luana Tavares, afirmou que fatores externos à área educacional não são levados em conta pelo levantamento, feito pela primeira vez em 2015 com a utilização de indicadores como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Segundo ela, as dificuldades e, principalmente, as soluções que influenciam a "trajetória educacional do aluno" são os alvos do estudo.

- Em qual cidade eu vou ter melhores oportunidades dentro da minha trajetória educacional? A gente não está olhando mercado de trabalho, fatores externos à área educacional. Então, se eu fosse jovem e pudesse escolher onde estudar, hoje eu estudaria em Sobral, no Ceará, ou em algum outro município entre os melhores apontados. Essas cidades, independentemente das suas condições sócio-econômicas, conseguiram oferecer oportunidades de educação que geraram bons resultados - disse.

Sobral (CE), com pouco mais de 200 mil habitantes, é a primeira colocada pela segunda vez consecutiva, com nota 6,2, e se destaca pelo conjunto de iniciativas adotadas para combater problemas como a alfabetização na idade certa. O secretário de Educação da cidade, Hebert Lima, disse que há 20 anos a prefeitura passou a priorizar a educação pública.

- Há programas permanentes de formação de professores, com uma escola de formação no próprio município há 11 anos, que qualifica e capacita o professor da rede municipal. Se priorizou o processo de alfabetização das crianças dos dois primeiros anos do Ensino Fundamental I. É em Sobral que nasce a experiência do programa de alfabetização na idade certa - afirmou Lima.

Não usar critérios políticos para a nomeação de diretores de escolas é fundamental, lembrou o secretário, para evitar danos às práticas de ensino.

- Eles (professores) fazem o processo seletivo, uma seleção que envolve prova escrita e análise de currículo. Posteriormente, podem ser convidados a ocupar um cargo como gestor escolar. (Fazemos) a formação do diretor como um líder, uma referência na comunidade escolar. Não tem indicação (política).


As outras cidades cearenses do ranking são Frecheirinha (2o), Nova Olinda (3o), Brejo Santo (4o), Coreaú (8o), Reruitaba (9o) e Novo Oriente (10o). No Rio Grande do Sul, o município de Picada Café ficou na quarta posição, e, em São Paulo, as cidades de Dumont e Ibirá foram a sexta e sétima colocadas.

Paraná, Distrito Federal e Santa Catarina completam o grupo dos cinco estados mais bem colocados, sendo Santa Catarina o único que piorou seu desempenho, caindo de terceiro para quinto colocado. Na sequência, completando o "Top 10", estão os estados do Ceará (6o), Goiás (7o), Mato Grosso (8o), Espírito Santo (9o) e Rio Grande do Sul (10o). Apesar de ter subido quatro posições, o estado do Rio de Janeiro não conseguiu entrar para a lista dos dez melhores e ficou em décimo primeiro lugar. Entre os últimos colocados estão Amapá (24o), Bahia (25o), Maranhão (26o) e Pará (27o).