Secretaria apura se houve negligência de médico que se negou a atender na UPA

Publicado em 14/09/2018 por Correio do Estado

CAMPO GRANDE

Secretaria apura se houve negligência de médico que se negou a atender na UPA

Procedimento adminitrativo e sindicância serão abertos na pasta

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande informou que está apurando o caso do médico preso por omissão de socorro e, caso seja confirmado alguma irregularidade ou negligência do profissional, um procedimento administrativo e sindicância deverão ser abertos internamente na pasta.

Durante o plantão na noite de ontem (13), o Corpo de Bombeiros encaminhou um paciente com a coluna travada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Universitário. No local, o médico Thiago José Maksoud Machado se negou a atender alegando que a unidade estava lotada.

Persistindo a negativa, o sargento Riboviski deu voz de prisão ao médico por omissão de socorro e acionou a Polícia Militar, que encaminhou o profissional à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do bairro Piratininga.

Em nota, a Sesau ainda lamentou o ocorrido e reforçou que caso o ocorrido tenha sido da forma descrita, não condiz com a conduta dos profissionais que atuam na rede pública de saúde da Capital.

Veja a nota da Sesau na íntegra:

"A SESAU ainda está apurando as circunstâncias em que essa situação ocorreu, no entanto, caso seja constatado alguma irregularidade ou negligência no atendimento por parte do profissional, será aberto um procedimento administrativo e posterior sindicância para que as medidas cabíveis sejam tomadas. Por fim, a SESAU lamenta o ocorrido e reforça que tal situação, caso realmente tenha ocorrido da forma descrita, não condiz com a conduta dos profissionais que atuam na rede pública de saúde e que atendem diariamente mais de 4 mil pessoas nas dez unidades de urgência e emergência"