O Summit da carne e os desafios do McDonald’s

Publicado em 11/07/2019 por Redação GS Notícias

Nesta sexta (12), termina o evento realizado pela Universidade do Hamburguer em SP


Está sendo realizado em Barueri/SP até esta sexta (12), na Universidade do Hambúrguer do McDonald’s, um dos vários centros educativos que a empresa mantém no mundo (o primeiro deles surgiu em Chicago), o Latin America Sustainable Beef Summit, encontro entre o segmento da pecuária para o desenvolvimento sustentável  que abordará as prioridades para a produção sustentável de carne bovina na América Latina, com a presença de produtores do Brasil, Argentina, Paraguai, Colômbia e México.


O Diretor Corporativo para o Desenvolvimento Sustentável na América Latina da Arcos Dourados, maior franquia independente do McDonald’s, Leonardo Lima, atendeu a redação do GS Notícias, posicionando o evento e ações da empresa sobre o desenvolvimento da pecuária e sua sustentabilidade.


Durante a conversa foram abordados temas como mudanças climáticas, bem-estar animal, rastreabilidade, carne sustentável, além de tendências e oportunidades no consumo de carne bovina.


Leonardo Lima informou que o evento é promovido pela GRSB (Global Roundtable for Sustainable Beef), reunindo as mesas redonda na América Latina, sendo que a brasileira é a primeira, já com 11 anos.


O desafio do evento é trazer ao público informação relevante e científica, como o movimento de integração lavoura, pecuária e floresta (ILPF), desenvolvido pela Embrapa, para ampliar a visão do negócio em harmonia com as demandas mundiais para o desenvolvimento socialmente responsável e minimizador de impactos ao meio ambiente.


Entre esses desafios, Lima pontuou a complexidade para a rastreabilidade dos produtos e práticas de seus fornecedores, onde foram avaliadas ações de origem das terras, dos campos de onde vem o gado, dos cuidados com o meio ambiente e cuidados com os animais, as fazendas, os frigoríficos, até a chegada do produto ao consumidor final, uma exigência cada vez mais cobrada pela sociedade de consumo.


Na Amazônia, a pecuária é tratada como das principais responsáveis pelo desmatamento em função da grilagem de terras públicas, para retirada ilegal de madeira e formação posterior de pasto, afetando a imagem brasileira negativamente no exterior, onde se desenvolve um mercado cada vez mais crítico com relação a origem dos produtos que consomem.


Leonardo informou sobre o trabalho da empresa com relação à conscientização de seus funcionários, onde na Universidade do Hamburguer existe curso aberto sobre desenvolvimento sustentável e meio ambiente, indo mais além, podendo participar diversos públicos, como de seus fornecedores, que em 2018 formou 550 alunos. Dando amplitude à ação educativa, cada restaurante da empresa pretende ser um influenciador de boas práticas, estimulando pela informação e comunicação direta, o consumo consciente e responsável em favor da sociedade. Para Leonardo, a educação é a chave e favorece o trabalho conjunto que agrega valor às comunidades


A empresa também se diz atenta ao mercado, no que se refere ao surgimento das carnes de laboratório, sem morte de animais, mas ainda não tem um posicionamento formal além dos estudos que estão sendo realizados sobre o assunto.