Vice de Ciro, Kátia Abreu critica invasão de sem-terra a propriedades

Publicado em 14/09/2018 por Valor Online

Vice de Ciro, Kátia Abreu critica invasão de sem-terra a propriedades

Por Marcos de Moura e Souza | Valor

BELO HORIZONTE  -  A senadora Kátia Abreu (PDT-TO), candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes (PDT), voltou a declarar que não será aceitável em um eventual governo pedetista a invasão de fazendas por grupos de sem-terra.

A afirmação foi feita na manhã desta sexta-feira (14) durante entrevista à rádio "Super" da cidade de Contagem, em Minas Gerais.

A senadora, representante da bancada do agronegócio no Congresso, procurou reforçar que sua defesa do setor não se restringe aos interesses do grande empresário do campo.

Defendeu, na entrevista, que pequenos agricultores tenham, como os grandes, acesso à tecnologia, a sementes "mais produtivas" e a recursos para levarem adiante sua produção com mais ganhos.

"A única coisa que eu sempre reitero é que sou contra é o conflito agrário, são as invasões", disse. "O desejo das pessoas de terem terra se resolve com política pública e investimento em reforma agrária. A invasão é que nos leva a um país subdesenvolvido, a um país sem garantias de direitos."

Kátia foi questionada sobre sua posição em relação ao acesso a portes de armas no país. Para ela, seria positivo que o porte para quem vive no campo possa ser concedido de forma facilitada pela Polícia Federal.

"Sou contra radicalmente armar a população urbana e sou contra radicalmente no campo o armamento de milícias como também de pessoas dos movimentos sem-terra", afirmou.

Na entrevista, Kátia afirmou que Ciro e ela terão, se eleitos, uma relação sem "tomá-lá-dá-cT com congressistas e que partidos e políticos não controlarão empresas públicas ou ministérios.

Disse que é possível manter o apoio no Congresso atendendo a reivindicações legítimas de parlamentares de investimentos em áreas prioritárias para suas bases.

Para a candidata a vice, o ideal será promover mudanças e reformas nos primeiros seis meses de governo.

A agenda de campanha da senadora em Minas inclui encontro com prefeito de Contagem, Alex de Freitas (PSDB), encontros com apoiadores e uma caminhada pela cidade.