400 anos do Carisma Vicentino

Publicado em 19/06/2017 por O Estado do Maranhão

Os cardiologistas José Benedito Buhatem e Thais Buhatem Moreno no 38º Congresso da Sociedade Paulista de Cardiologia (Socesp) com o presidente do congresso Ibraim Masciarelli Pinto, na semana que passou, em São Paulo

Um grupo composto por 25 senhoras maranhenses, voluntárias da caridade, está participando esta semana, em Salvador, das comemorações pelos 400 anos do Carisma Vicentino. O Encontro Nacional da Associação Internacional de Caridades, que começou dia 16 e terminará na próxima quinta-feira, dia 22, celebra o Ano Jubilar da Inspiração de São Vicente. Entre as senhoras, estão Teresa Lago e Maria Teresa Raposo Nascimento.

Mitos eleitorais
Quem nunca se deparou com uma dúvida envolvendo o processo de votação, as opções de voto e o resultado de uma eleição? Para esclarecer questões como essas, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) lançou ontem nas suas redes sociais, a campanha Mitos Eleitorais.
O primeiro tema a ser abordado na fanpage do TSE no Facebook e no perfil do Tribunal no Twitter é "Votar nulo anula uma eleição?".
A campanha não será veiculada nas emissoras de televisão e rádio. Foram criados nove vídeos que ajudarão a esclarecer os eleitores.
Os vídeos utilizam a linguagem infográfica, são curtos e animados, totalmente voltados para as redes sociais.

Mitos eleitorais 2
Os outros temas da campanha são: Voto em branco vai para quem está ganhando? Voto em branco é igual a voto nulo? É eleito sempre o candidato que possui mais votos? Quem não votou na última eleição não pode votar na próxima? Depois da eleição é possível saber em quem o eleitor votou? Quem é convocado para ser mesário, será convocado sempre? Ninguém pode ser preso no dia da eleição? O eleitor pode votar usando a camiseta do seu partido?.
Também faz parte da campanha uma ação específica no perfil oficial do TSE no Twitter (@TSEJusbr), uma espécie de jogo em que o eleitor poderá testar seus conhecimentos eleitorais.

Livros de Sônia Almeida
Esta quinta-feira, 22, será mais que especial para Sônia Almeida, escritora, professora da Universidade Federal do Maranhão e titular da cadeira de número 20 na Academia Maranhense de Letras (AML).
Ela lançará não apenas uma, mas duas obras na sede da Casa de Antonio Lobo, às 19h, em noite de autógrafos que promete, tanto pela qualidade literária da autora, quanto pelo seu vasto círculo de amizades.
Os livros são intitulados "A língua e a árvore: uma herança com chão e tempo" e "Palavras herdadas: sobre o Português como língua de herança". Nesse último, ela divide a autoria com Andréa Menescal.

Livros de Sônia Almeida 2
O livro "Palavras herdadas: sobre o português como língua de herança" tem cunho científico e é fruto de pesquisa realizada pela autora sobre o ensino de português fora do Brasil, quando fez pós-doutorado na Ruhr Universitat Bochum (Alemanha).
As duas obras também serão lançadas em Brasília, no mês de agosto, por ocasião do I Congresso Mundial de Línguas de Herança. Em setembro, será a vez do lançamento no Consulado Geral do Brasil na Alemanha.

Na hora da verdade
O kit-aids, que estará disponível nas farmácias até o fim deste mês e que permitirá que em vinte minutos se detecte o vírus HIV, exigirá preparo psicológico dos pacientes.
Especialistas são de opinião que a maioria dos que forem apontados como soropositivos não terão o mesmo preparo dado nos ambulatórios.
As consequências poderão ser graves, dependendo do preparo emocional dos doentes.
Mesmo assim, profissionais ligados ao tratamento da doença não desaconselham o uso do teste rápido, mas recomendam que os usuários estejam sempre ao lado de um acompanhante no momento de pegar o resultado.

TRIVIAL VARIADO

Com menos impostos, os produtos ficam mais baratos, o consumo aumenta, a produção cresce, vagas de emprego são abertas e a renda do trabalhador sobe. Quem chega ao poder passa a rejeitar as possibilidades.

Em Brasília, formam-se longas filas de políticos para assistir ao filme Sigilo Absoluto. Há muito tempo que não ouviam as duas palavras.

O senador (suplente) Mauro Fecury foi visto no fim de semana com a esposa Ana Lúcia e o filho Marco saboreando os quitutes do restaurante Cabana do Sol, da Ponta do Farol.

Em tempos recentes, a certeza da impunidade era um dos maiores incentivos para o cometimento de ilícitos. Na sucessão de episódios, quebraram o País.

Escritores de Hollywood querem levar Joesley Batista às telas. Agentes se movimentam para negociar a venda de direitos. Títulos sugeridos: A Delação do Século ou Aventuras de um Trambiqueiro.

Um dia depois do outro. A rotina em Brasília se resume a administrar o escândalo de hoje para enfrentar o de amanhã.

No projeto que está na Câmara dos Deputados, o jogo do bicho vislumbra as portas escancaradas para a legalização. É tudo que os bicheiros querem: divorciar o bicho da imagem de crime organizado.

O cancelamento do acordo com Cuba, anunciado por Donald Trump, não surpreende. É parte dessa onda que tenta buscar no passado a segurança que o futuro não oferece, especialmente depois do fracasso da globalização e do politicamente correto.

DE RELANCE

Fiscalização
Começou a tramitar no Senado uma PEC que muda a maneira como são indicados os nomes para os Tribunais de Contas. O texto tenta dar um caráter menos político para o órgão. Entre as mudanças sugeridas, o aumento de vagas para conselheiros oriundos de carreiras técnicas, o fim da escolha livre do chefe do Executivo e a redução das indicações do Legislativo. A proposta já conta com o apoio de mais de 30 senadores.

Almoçando no Gaia
Os almoços de domingo no restaurante Gaia se destacam pelo público fiel, dentre figuras que fazem parte da melhor tradução da sociedade maranhense. Ontem, por exemplo, nomes com mais de oito décadas de estrada como o arquiteto Cleon Nascimento Furtado com o filho, também arquiteto Ricardo Furtado, Olga Nagem Frota, com o filho Nelson Frota, o empresário César Bandeira (saudoso de sua Thatiana, que está conhecendo as ilhas de Açores), Ana Lúcia e Amaro Santana Leite, a bela Fernanda Campos Belfort de Pinho e a filha Helena.

?Justiça Brasileira
Não é de hoje que a Justiça brasileira é lenta e cara. Acontece que a morosidade e os custos aumentam na exata medida em que a sociedade vai se acostumando a bater nas portas de nossos tribunais, demonstrando, assim, que está aprendendo a defender os seus direitos. Mas o Poder Judiciário se revela cada vez com mais dificuldades para cumprir as funções com agilidade e eficiência. Exemplo desta excessiva demora são os milhares de "contratos de gaveta" envolvendo financiamentos para aquisições de casas e apartamentos, que se arrastam há mais de 30 anos. Lentidão e desleixo.

Ponta de esperança
Para a maioria da população, o objetivo essencial da ação governamental era maximizar o bem-estar social, buscando o desenvolvimento, a estabilidade e a equidade social. Das cinzas se levantará outra sociedade baseada nos valores do mérito, do trabalho honesto e da justiça.

Plantas que combatem insônia
Quando o assunto é insônia, cada área de conhecimento tem uma abordagem para tratá-la. Os médicos têm uma, os nutricionistas têm a sua, e os especialistas em performance física têm outra completamente diferente, mas todos serão unânimes em dizer que, quando a pessoa dorme bem, tudo flui melhor. Muitas pessoas enfrentam dificuldades para conciliar o sono, pensando nisso, especialistas listaram 5 plantas que ajudam a combater este problema: capim-cidreira; erva-doce; hortelã-levante; ipê-roxo e laranjeira.

Espécie de fuga
As sessões plenárias da Câmara, esta semana, serão dedicadas a votações de projetos de autoria de deputados. Um deles muda as regras sobre o arquivamento das propostas após o fim de cada legislatura, com o objetivo de diminuir o acúmulo de proposições não apreciadas. Deve ser um assunto vital... O País pegando fogo e dão preferência por desligar as mangueiras.

Faz de conta
Na opinião do ex-deputado César Bandeira, apesar das cifras exorbitantes, as campanhas são cada vez mais pobres de conteúdo. Os marqueteiros contratados e responsáveis pela imagem vendem os candidatos como produtos, transformando o programa eleitoral em um talk show, geralmente de muito mau gosto. Enquanto isso, é cada vez mais raro acompanharmos debates ricos de conteúdo, com a discussão de doutrinas e ideologias políticas.

Fim da dúvida
Demorou para que alguns entendessem o motivo pelo qual políticos de vários partidos defendiam a manutenção do ingresso de dinheiro de pessoas jurídicas nas campanhas eleitorais. Agora, fica escancarado: estão no governo e nos parlamentos para representar seus próprios interesses e de empresas e corporações que lhes financiam.

Medidas inadiáveis
A grande beneficiada pelas tão aguardadas mudanças na legislação será a sociedade brasileira. Deve haver empenho para acabar com as coligações nas eleições proporcionais, limitar as contribuições para campanhas e criar a cláusula de barreira, reduzindo o número exagerado de partidos políticos. Manter o quadro atual significa incentivar o funcionamento dos balcões de negociações.

Vale refletir com Clarice Lispector:
"Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós."

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.