Abrafrigo quer apoio do BNDES para pequenas e médias empresas

Publicado em 13/06/2017 por Valor Online

SÃO PAULO - Em resposta à crise deflagrada pela delação premiada dos controladores da JBS, a Associação Brasileira de Frigorífico (Abrafrigo) quer o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para desenvolver os frigoríficos de pequeno e médio porte e contornar a alta concentração no segmento. Em nota divulgada hoje, a Abrafrigo informou que pediu formalmente uma reunião ao BNDES para tratar desse tema. A intenção da entidade é mudar a "configuração da estrutura produtiva da pecuária de corte no setor industrial, ainda altamente concentrada em grandes empresas em alguns Estados brasileiros". A avaliação da Abrafrigo é que a estrutura da indústria brasileira de carne bovina pode mudar seu perfil ao longo dos próximos anos, e os frigoríficos pequenos e médio poderão ter um "papel preponderante". "Certamente o vácuo que já começa a se abrir em função dos fatos políticos recentes, demandará das nossas empresas iniciativas para as quais serão necessários recursos de terceiros, especialmente de longo prazo, a fim de que possamos crescer e diversificar os nossos negócios", apontou a Abrafrigo, em nota. Maior frigorífico de carne bovina do país, a JBS reduziu as escalas de abate após a delação premiada, e pecuaristas estão mais receosos em vender para a empresa. Com isso, o ritmo de produção de carne bovina caiu, de acordo com analistas. Nesse cenário, cresceram as preocupações com a concentração de mercado da JBS em Estados como o Mato Grosso, onde os pecuaristas poderiam ficar com escassas opções de venda diante do momento vivido pela JBS. Também por isso, os pecuaristas querem que o governo de Mato Grosso reduza a alíquota de ICMS para vender boi vivo a outros Estados.