Brasileiras fincam bandeira no exterior

Publicado em 19/06/2017 por DCI

19/06/2017 - 05h00

Brasileiras fincam bandeira no exterior

Número de redes que pegaram o passaporte com o objetivo de ampliar o alcance dos negócios subiu de 65 para 134 em seis anos; objetivo, além da expansão de unidades, é o fortalecimento da marca

Levantamento aponta que 60 países já contam com redes brasileiras
Levantamento aponta que 60 países já contam com redes brasileiras
Foto: Dreamstime

- As marcas brasileiras que atuam no sistema de franchising têm acelerado seu processo de internacionalização nos últimos anos.

Entre 2010 e 2016, dobrou o número de franquias nacionais que pegaram o passaporte com o objetivo de ampliar o alcance dos negócios - de 65 para 134 redes, como mostram os dados divulgados pelo Programa de Mestrado e Doutorado em Gestão Internacional (PMDGI) da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Já são 60 países com presença de uma franquia brasileira.

A principal razão para decidir ampliar os negócios além das fronteiras é a busca pelo fortalecimento da marca, seguido pelo conhecimento do mercado internacional e pelo plano de expansão. Os Estados Unidos - o mercado com maior número de unidades franqueadas no mundo - são o principal destino dos franqueadores brasileiros, apesar de toda a concorrência.

Não obstante as dificuldades, este foi o caminho seguido recentemente por Edson Ramuth, presidente da Emagrecentro. Enquanto faz alguns ajustes na operação brasileira, que passou por um encolhimento de cerca de 30%, Ramuth partiu para a diversificação dos negócios e abrirá neste mês a primeira unidade da rede nos Estados Unidos. Não é a primeira experiência internacional. A empresa conta com uma unidade em Bogotá (Colômbia), que não atingiu a performance esperada..

Ramuth sabe dos riscos de competir em um mercado tão bem abastecido no setor de estética e beleza. Para isso, decidiu se instalar nos Estados Unidos por meio da aquisição de uma clínica em operação. "Nos EUA, a franquia tem potencial maior que a brasileira por conta das características do mercado. As redes de estética são menores. Nenhuma supera 80 unidades. Ou seja, o ganho de escala com uma rede maior pode ser muito favorável aos resultados dos negócios. Além disso, é bom lembrar, 74% da população americana está acima do peso", destaca.

A Limpidus é outra franquia nacional que decidiu se instalar no exterior. O processo de internacionalização começou há dois anos e hoje a empresa, que conta ao todo com 120 unidades ativas, está presente nos mercados preferidos pelas marcas brasileiras: Argentina, Chile, Colômbia, México e Estados Unidos. Já a Ortoplan, de serviços odontológicos, conta com 62 unidades em operação, sendo 56 em 15 estados brasileiros e seis no Paraguai. O projeto da rede prevê pelo menos mais seis unidades no exterior neste ano, priorizando o Paraguai, onde o crescimento da marca já começou, e com o objetivo de ganhar mercado no Chile.Segundo a rede, a ideia é crescer principalmente na América Latina, pela proximidade com o ponto de origem da rede - Foz do Iguaçu (PR).

Com o ritmo mais lento da expansão no mercado local, a tendência é que mais franqueadores busquem alternativas para desenvolver suas marcas fora do Brasil. Mas, para isso, advertem os coordenadores da pesquisa da ESPM, é preciso planejamento cuidadoso e proficiência na língua inglesa - um dos pontos fracos dos empresários que decidem internacionalizar sua bandeira.

Assuntos relacionados:

internacionalização