Decisão tucana

Publicado em 17/06/2017 por O Estado do Maranhão

Decisão tucana

Caberá ao presidente nacional em exercício do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), a decisão sobre o futuro do partido no Maranhão. Jereissati quer conversar com o vice-governador Carlos Brandão e com o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, as duas principais lideranças remanescentes do ninho maranhense, para tomar a decisão.
Tanto Madeira quanto Brandão participaram da reunião do diretório nacional que decidiu pela permanência do PSDB na base de apoio do governo Michel Temer (PMDB). Após o encontro, o senador cearense conversou com o ex-prefeito maranhense e marcaram conversa para a semana que se inicia.
Apesar de ter mais proximidade com o senador Aécio Neves do que o vice-governador maranhense, Madeira teve dificuldades de ter uma resposta por causa dos interesses que o ex-candidato a presidente mantinha no governo Flávio Dino (PCdoB).
Agora, as coisas mudaram. Madeira continua tendo mais intimidade com Jereissati do que Brandão, que tem pouco acesso nacional à legenda. E pesa ainda a antipatia que o senador do Ceará mantém dos ideais e projetos comunistas e esquerdistas para o Brasil.
Mas o fato é que o destino do PSDB levará apenas Brandão ou Madeira a protagonista do partido nas eleições de 2018. Após a morte do ex-governador, ex-prefeito, ex-senador e deputado federal João Castelo, nenhum outro tucano maranhense tem mais cacife que o vice-governador e o ex-prefeito. E caberá a um deles comandar os destinos da legenda.

Efeito contrário
Nenhuma questão envolvendo o governador Flávio Dino teve tanta repercussão negativa nos últimos tempos do que o já notório banner que noticia "economia" no setor de Saúde.
O problema de Dino é que essa "economia" foi anunciada como fato fantástico exatamente no momento em que o setor de Saúde apresenta sucateamento e se desfaz em corrupção.
A repercussão foi tão negativa que Dino decidiu mandar recolher o banner, que já havia sido espalhado por redes sociais, blogs e aplicativos de troca de mensagem.

Rebatida I
O senador Roberto Rocha (PSB) encaminha nota para rebater informação da coluna de sexta-feira, 16.
Em um texto quilométrico para rebater um parágrafo de informações diz: "Nada na minha postura autoriza afirmar que aguardo posicionamento do governo".
E diz também que não há elementos para afirmar que ele poderia voltar a dividir palanque com Flávio Dino.

Rebatida II
Em seu texto, Roberto Rocha também garante que quer disputar o Governo do Estado contra Flávio Dino (PCdoB) e Roseana Sarney (PMDB).
Lembra que apoiou tanto um quanto outro, mas diz que se afastou por não vislumbrar planos de gestão para o desenvolvimento do estado.
Por fim, Rocha nega que tenha agenda de campanha e alfineta que o Maranhão vive "simulacro de uma mudança que nunca acontece".

Cassação
O senador João Alberto de Sousa (PMDB), mesmo de licença, quer participar do julgamento do colega mineiro Aécio Neves (PSDB) no Conselho de Ética do Senado.
Aécio responde a pedidos de cassação do mandato impetrados pelo PSOL e pela Rede Sustentabilidade.
O julgamento no conselho está previsto para meados da semana que se inicia.

Guerra aberta
É de beligerância quase absoluta a relação entre o deputado federal Aluisio Mendes (Podemos) e o deputado estadual Josimar de Maranhãozinho (PR).
Josimar atacou duramente Aluisio em suas bases eleitorais, durante reunião com lideranças políticas.
Aluisio decidiu investigar e descobriu documentos falsos na relação entregue pelo adversário à Justiça Eleitoral em 2014.

Poderosa
A cada dia, a primeira-dama de Paço do Lumiar, Núbia Dutra, dá mais demonstrações de que é ela - e não o prefeito Domingos Dutra - quem dá as cartas no município.
É Núbia quem se reúne com secretários, dá ordens a subordinados do prefeito e decide a relação com aliados e adversários.
O problema é que a população de Paço do Lumiar elegeu o marido, e não a mulher, para comandar seus destinos.

Imagem ruim
Alguns deputados federais maranhenses saíram com má impressão do ministro-presidente do TSE, Gilmar Mendes.
É que boa parte deles, da oposição ao governo Temer, participou da reunião exatamente dias depois do protagonismo de Mendes no julgamento da chapa Dilma/Temer.
Para piorar, o ministro não mostrou boa vontade com o pleito dos maranhenses: recuar na decisão de extinguir zonas eleitorais no estado.

E MAIS

? O PDT vai ter que decidir entre o secretário Ivaldo Rodrigues e o vereador Raimundo Penha como puxador de votos da legenda em São Luís para a Assembleia Legislativa.

? Mais de 15 dias depois, o vereador Pavão Filho finalmente manifestou-se sobre o caso IDAC, dizendo que a associação que preside nada tem a ver com os diretores presos.

? Líder do governo Flávio Dino na Assembleia, Rogério Cafeteira recuou do debate sobre a CPI da Saúde também nas redes sociais, após contundente discurso de Andrea Murad.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.