O escritor Humberto de Campos

Publicado em 17/06/2017 por O Estado do Maranhão

O escritor Humberto de Campos

Aqui, hoje, quero registrar a minha admiração eterna ao escritor Humberto de Campos, que, em consequência de sua inteligência e cultura, deixou muitas lições dignas do respeito e do acolhimento para sempre de muitas gerações no Brasil e, em especial, no Maranhão.

Eu tenho as suas obras completas, editadas pela Opus Editora Ltda, em São Paulo, capital, em 1983, em 10(dez) volumes, nos quais está demonstrada a sua grandeza literária como poeta, cronista, humorista, contista e crítico literário.

Ele nasceu a 25 de outubro de 1886 no povoado Miritiba, hoje, município Humberto de Campos, no Maranhão. Faleceu no Rio de Janeiro a 05(cinco) de dezembro de 1934. Sempre carregou no seu coração e na sua memória fatos, atos e pessoas que lhe fizeram o bem. Assim cresceu e se tornou um excelente cidadão e eterno escritor.

Ele foi membro efetivo da Academia Brasileira de Letras, onde ocupou a Cadeira nº20. Na Academia Maranhense de Letras é patrono da Cadeira nº 22, hoje ocupada pelo excelente escritor e político dr. José Sarney, que é, sem dúvida, um dos melhores do mundo e, em especial, do Brasil e do Maranhão.

Humberto de Campos soube viver impulsionado pela sua vocação literária. As suas obras todas merecem ser bem lidas. Sempre colocou no que fazia, escrevia e dizia marcas do puro maranhense, nascido, portanto, num povoado pobre e que hoje tem o seu nome, homenagem esta muito justa, pois ele muito cresceu e sempre mereceu destaque sob os aplausos de muitas gerações.

Ele esteve e continua bem perto dos escritores Monteiro Lobato, Paulo Setubal, José de Alencar, Coelho Neto, Olavo Bilac, que muito fizeram pela literatura brasileira.

Os que hoje dirigem o município de Humberto de Campos devem unir-se na busca de um espaço especial para a revelação do que ele (escritor) fez na literatura. Ele merece destaque especial a fim de que todas as pessoas percebam a sua história magnífica em benefício da humanidade.

Ele escreveu muitos livros e em cada um registrou a sua inteligência e cultura nascidas e crescidas com muito amor à vida.

Aqui não há espaço para eu mencionar todas as suas obras, pois são muitas. Por isso, sugiro que devam ser localizadas e lidas a fim de que nelas seja admirado o seu autor, um maranhense que cresceu muito na literatura e na qual está como imortal da Academia Brasileira de Letras e da Academia Maranhense de Letras, duas instituições que expressam excelentes espaços culturais, justamente em conseqüência dos seus Membros Efetivos.

Ele nasceu, cresceu e viveu num Brasil novo, portanto, bem diferente de hoje. Mesmo assim, é justo e adequado que cada brasileiro ou brasileira lhe reconheça, agora, o seu valor literário.

Desse modo, a união perfeita entre o passado e o presente conduzirá o povo em geral à certeza de um melhor futuro. Foi com esse raciocínio que Humberto de Campos fez do seu presente um grande e perfeito futuro em tudo em que atuou com sua vocação literária escrevendo livros e crônicas em jornais.

Ele é, sem dúvida, um bom exemplo para os jovens e para as jovens crescerem muito através do que deverão ler e também deverão escrever com muito amor à perfeição completa.

José Carlos Sousa Silva

Advogado, jornalista e professor universitário, membro da Academia Maranhense de Letras

E-mail: [email protected]

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.