EUA tiveram em 1868 o 1º processo de impeachment de um presidente

Publicado em 18/06/2017 por O Globo

Jonhson. Republicano não era bem visto no partido - Reprodução

WASHINGTON - Muito se fala sobre a conturbada crise política americana atual, mas ela ainda não se compara ao momento em que os Estados Unidos viram seu primeiro processo de impeachment de um presidente, em 1868, contra Andrew Johnson, o 17º presidente do país. Os EUA estavam ainda tentando se reconstruir após a Guerra Civil, oficialmente encerrada três anos antes, e chocados com o assassinato de Abraham Lincoln, de quem Johnson era vice.

De origem humilde, Johnson nunca foi totalmente aceito pela cúpula do Partido Republicano. Senador pelo Tennessee, se manteve na instituição mesmo quando seu estado se juntou aos confederados, sendo considerado um herói no Norte e um traidor no Sul. Com base em sua lealdade, foi nomeado por Lincoln governador do Tennessee, e, depois, coroado com a vaga de vice-presidente em sua chapa. Após o assassinato de Lincoln, coube a ele, em abril de 1865, tentar reconstruir o país.

Suas ações conciliatórias no Sul levaram republicanos radicais a fazerem uma forte oposição, ao ponto de abrir, em março de 1868, um processo de impeachment. Apesar do forte conteúdo político, a motivação oficial foi a de que ele teria descumprido a Lei de Mandato de Cargo de 1867, que estabelecia que certos ocupantes de cargos do gabinete do Executivo só podiam ser removidos com consentimento do Senado, ao substituir o secretário de Guerra. No fim de maio, Johnson foi absolvido mesmo tendo recebido 35 votos de culpado e 19 de inocente. Para perder o mandato, precisava ser condenado por 36 senadores.

LEIA MAIS: Com impeachment em discussão, qual a chance real de Trump cair?