Ex-velejador Alban Rossollin aposta em café francês em Porto Alegre

Publicado em 17/06/2017 por Zero Hora

O croissant é sem recheio, o chão da área externa, de tijolos à vista, e quem chega é recepcionado com a frase "La vie est belle" (a vida é bela) e livros sobre Coco Chanel que integram a decoração. Mais francês que o ambiente, só seu dono, Alban Rossollin, que deixou a Europa para instalar em Porto Alegre um canto que proporcionasse aos gaúchos uma imersão no país da Torre Eiffel. Desde agosto do ano passado no número 232 da Rua Cel. Bordini, o café batizado com o nome do proprietário encanta justamente pelos produtos artesanais, frescos e 100% tradicionais, expostos em uma vitrine em formato de prateleira de vidro no hall de entrada - o que é só um convite para o aconchego da casa com música francesa.

- Tudo o que a gente serve aqui, você vai encontrar igual lá na França, com o mesmo nome - comenta o proprietário.

Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Apesar de ter graduação em Gastronomia pela Escola Auguste Escoffier, Rossollin trabalhou como velejador profissional até optar por largar a carreira e voltar para a cozinha. Quem o trouxe para o Sul, há três anos, foi a porto-alegrense Letícia Loeff, esposa que conheceu em solo europeu quando ainda competia. O chef até brinca que seu português é gaúcho, pois chegou ao Brasil sem saber uma palavra do idioma e, em pouco tempo, já dominava a língua que aprendeu sozinho.

Entusiasmado em mergulhar em uma nova cultura, recebeu o convite para treinar equipes brasileiras de Vela para as Olimpíadas Rio 2016 logo ao chegar no Rio Grande do Sul. Aceitou o desafio, mas não desistiu do plano de apostar na gastronomia francesa, uma de suas motivações ao se mudar da região da Provença.

Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Embora ainda esteja em fase de construção, um ambiente com sofás e mesas rústicas de madeira, ao lado da entrada do café, foi disponibilizado pelo proprietário para reuniões de trabalho e pequenos eventos informais. Para os clientes se sentirem em casa, a decoração foi pensada a partir de móveis antigos herdados dos avós de Letícia.

Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

O cardápio preparado pelo próprio chef serve café da manhã, almoço e lanches. Entre as opções, destaca-se o cannelé, um pequeno bolinho com perfume de baunilha, crocante por fora e macio por dentro. Há também quiches, tartes, cesta de pães e sanduíches - "eu os aqueço, mas não os prenso", garante Rossollin, lembrando que a proposta é oferecer a experiência mais fiel possível à cultura da França.

Leia mais:
Alban Rossollin: boulangerie bem francesa em Porto Alegre
Conheça a Ginkgo 788, lugar que une cafeteria e floricultura no Bom Fim
Conheça a gastronomia excêntrica do Estômago Café Vegano

Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS
Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS