Futuro da Zona Franca de Manaus exige união

Publicado em 03/03/2017 por

A mercê do risco de uma nova guerra fiscal contra os incentivos da Zona Franca de Manaus (ZFM), o governo do Amazonas vai unir forças com o empresariado por meio das entidades de classe para, mais uma vez, defender os direitos constitucionais deste modelo exitoso de desenvolvimento sustentável. Foi durante a 266ª Reunião Ordinária do  Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) que o governador José Melo firmou um pacto com os conselheiros. “A nossa luta agora é pegar este modelo, fortalecê- lo para que possamos ter as garantias e não mais aquele mau humor para que esse modelo pereça. Por outro lado o Amazonas não pode mais abrir mão das riquezas que Deus colocou aqui . Esse Estado tem a base para o estudo científico daquilo que é o desafio do próximo milênio: a biotecnologia”.

A defesa da Zona Franca de Manaus vem sendo discutida ao longo deste mês, em que completa 50 anos, no dia 28 de fevereiro. Em meio século, foram diversos ataques a este modelo de desenvolvimento regional, nem assim deixou de cumprir sua principal missão de manter parte da maior floresta tropical intacta. “O Estado que tem a maior reserva de água doce disponível do mundo, tem uma floresta compacta com 97% preservada onde abriga a maior biodiversidade conhecida do planeta, não pode simplesmente se satisfazer com um único modelo econômico”, disse o governador do Amazonas.

Portal Amazônia | AM | Economia


Matéria completa aqui


Publicado originalmente no Mídia e Amazônia.