Maio mostra cenário econômico vagaroso

Publicado em 19/06/2017 por DCI

19/06/2017 - 00h00

Maio mostra cenário econômico vagaroso

Dados sobre arrecadação e emprego confirmam retomada gradual da atividade

 

Os dados da arrecadação de impostos e emprego em maio, que serão divulgados nesta semana, devem mostrar que o cenário econômico continua ruim. Outro fato relevante nesta semana será a sinalização do ritmo de corte na taxa básica de juros (Selic), por parte do Banco Central, no Relatório Trimestral de Inflação, na quinta-feira (22). "Com as expectativas da inflação ancoradas para este ano e 2018, e uma recuperação lenta da atividade, é possível que o Banco Central dê sinais de disposição em manter o ritmo de queda de 1 ponto porcentual para a próxima reunião do Copom, em 25 e 26 de julho, apesar das dificuldades das reformas no Congresso."

 

Arrecadação fraca

 

A previsão é da GO Associados, para quem o IPCA-15 de junho, a ser divulgado na sexta (23), subirá só 0,11%, trazendo para 3,4% o acumulado de doze meses. Já a arrecadação de tributos federais em maio, a ser conhecida nos próximos dias, deve reforçar dificuldade de aumento da arrecadação neste início de ano, com a economia ainda em retomada gradual. A consultoria, que aposta em ligeira queda real de 0,3% em relação a maio de 2016,  avalia que os números corroboram problema para cumprimento da meta de déficit primário de R$ 139 bilhões para 2017.

 

Empregos voltam a cair

 

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que também serão divulgados nesta semana pelo Ministério do Trabalho, caminham na mesma direção dos demais. Depois de um abril surpreendente, com a geração líquida de 59,8 mil vagas, a expectativa é que maio volte a apresentar ligeira redução do número formal de empregos. Os números do Caged vêm apresentando elevada volatilidade neste início de ano, compatível com o processo de retomada gradual da atividade econômica e fim do ajuste no mercado de trabalho.

 

CNI representa indústrias no debate...

 

A indústria brasileira segue à frente na representação do setor privado latino-americano nas discussões das políticas internacionais de trabalho. O presidente do Conselho de Relações do Trabalho da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Alexandre Furlan, foi reeleito vice-presidente da Regional da América Latina no Conselho Diretivo da Organização Internacional de Empregadores (OIE), instituição que reúne 155 entidades empresariais de mais de 140 países. A eleição ocorreu na quarta (14), durante a 106 ª Conferência Internacional do Trabalho, na Suíça.

 

...sobre políticas globais para o trabalho

 

Este é o segundo mandato de Furlan como vice-presidente da OIE, cargo que ocupará até 2020, representando entidades de 34 países da América Latina e Caribe. "As relações do trabalho são um pilar da competitividade de qualquer país. Vamos continuar a enfrentar o desafio de construir políticas para o mundo do trabalho que contribuam para a competitividade das economias e assegurem a devida proteção ao trabalhador", disse Furlan. Fundada em 1920, a OIE é a voz do setor empregador em temas ligados a políticas do trabalho em instâncias multilaterais do mundo.

 

Princípios sustentáveis

 

 

O Itaú Unibanco foi eleito representante da América Latina com assento no Comitê Diretivo dos Princípios do Equador. A instituição financeira brasileira - a única latino-americana participante do Comitê - se destaca nas discussões de risco socioambiental internacionalmente. "Cumprimos de modo sustentável o propósito do Itaú Unibanco de ser engrenagem propulsora de crescimento", diz Roberto Dumas, gerente de Risco Socioambiental do banco. Nos últimos oito anos, o banco financiou mais de R$ 7 bilhões em projetos de desenvolvimento com base nestes Princípios.

 

Inteligência artificial

 

A Nama - empresa pioneira no desenvolvimento de inteligência artificial genuinamente brasileira e que integrou as duas turmas de residentes do Campus - mostrará seus chatbots e falará das novidades de seu modelo de negócios, durante a Feira Garagem Empreendedora, promovida pelo Campus São Paulo, hoje na capital paulista. Segundo o diretor de Operações da Nama, Lucio de Oliveira, o evento "é muito mais do que um espaço para empreendedores". "Participar desse ecossistema nos dá a oportunidade de aprender e trocar experiências relevantes com toda a comunidade de membros. Essa troca, fomentada ativamente pelo time do Google, foi essencial para nosso crescimento e consolidação no mercado", acrescenta. A startup Nama desenvolveu o projeto de chatbot do Poupatempo, o Poupinha, e estará também presente no Startup Fair.

Na liderança

 

Os prêmios de seguro de vida e acidentes pessoais da Bradesco Vida e Previdência, empresa do Grupo Bradesco Seguros, registraram, em abril, crescimento de 11,8% ante igual período do ano anterior, totalizando R$ 517 milhões. Na mesma base de comparação, o mercado cresceu 8,0%. No acumulado do ano, a expansão foi de 18,1%, contra 10,9% do mercado. Com o resultado, a Bradesco Vida e Previdência manteve a liderança no segmento, com cerca de 20% de market share. "Os resultados refletem a crescente consciência do brasileiro quanto à necessidade de proteger seus bens, incluindo o mais valioso deles, que é a vida", destaca Jorge Nasser, diretor-geral da Bradesco Vida e Previdência e da Bradesco Capitalização.