NASA, ITA e o software do INPE

Publicado em 09/01/2017 por O Estado do Maranhão

NASA, ITA e o software do INPE

INPE encerra o ano anunciando uma melhoria significativa na capacidade de processamento do software livre que implementa a modelagem ambiental. E anuncia também que uma parceria foi feita com a NASA para lançar um nanossatélite, chamado de missão SPORT - Scintilation Prediction Observations Research Task, que estudará bolhas de plasma na ionosfera.

Essa missão foi selecionada pela NASA, mais precisamente o Marshall Space Flight Center. É um nanossatélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), do tipo "cubesat", de seis quilos.

As bolhas de plasma são as fontes principais de reflexões de radar na região equatorial. A missão SPORT investigará o crescimento das bolhas de plasma e as relações entre as irregularidades no plasma em altitude de satélites com as cintilações de rádio que se observam.

Os instrumentos a bordo do satélite serão desenvolvidos pelo centro da NASA e universidades dos Estados Unidos, com a participação de pesquisadores brasileiros. Já a plataforma será semelhante à do Itasat, um nanossatélite universitário realizado em parceria pelo ITA, INPE e outras instituições de ensino. A montagem e testes serão feitos no Laboratório de Integração e Testes (LIT) do INPE, em São José dos Campos (SP). E a operação em órbita será do Centro de Controle de Satélites (CCS) do INPE.

O processamento, armazenamento e distribuição dos dados científicos da missão ficarão a cargo do Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial (Embrace) do INPE. O Embrace já possui uma rede de sensores de solo na região da Anomalia Magnética do Atlântico Sul (AMAS) e o nanossatélite deverá expandir os conhecimentos da área.

O lançamento será feito pela NASA, a partir da Estação Espacial Internacional (ISS). O início da missão será em março de 2017, e o seu lançamento de ocorrer entre novembro de 2018 e março de 2019, com uma vida útil estimada de um ano.

O INPE também lançou uma nova versão da ferramenta para apoio à tomada de decisão em questões de planejamento territorial e ambiental, o LuccME 3.0 (Land Use and Cover Change Modeling Environment). Esse software é livre, código aberto e gratuito, e permite que se construam facilmente modelos para estudos sobre desmatamento, expansão da agricultura, desertificação, degradação florestal, crescimento urbano e outros processos de mudanças de uso e cobertura da terra em diferentes escalas.

Essa versão incorpora os avanços dos sistemas TerraME 2.0 e TerraLib 5.0, conferindo maior capacidade para lidar com grandes bancos de dados geográficos e maior velocidade de processamento, está melhor também a interface gráfica e métricas de validação para facilitar a calibração dos modelos. Os modelos agora podem acessar arquivos no formato mais utilizado na área de geoprocessamento. Logo, tanto dados de entrada como resultados gerados podem ser manipulados diretamente em qualquer sistema de informações geográficas. O download da nova versão pode ser feito no site do INPE.

Mario Eugenio Saturno

Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

cienciacuriosa.blog.com

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.