Com perfil discreto, Henrique Meirelles resolveu se mostrar no Twitter

Publicado em 18/06/2017 por Correio Braziliense Online

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press
Henrique Meirelles, ministro da Fazenda

Com perfil técnico e até então conhecido como um homem discreto no governo federal, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, resolveu se mostrar nas redes sociais, comentando números da economia. Ele estreou o perfil no Twitter este mês, em plena crise política e no momento em que o presidente Michel Temer (PMDB) sofre uma verdadeira sangria, às voltas com a delação da JBS.

 

Meirelles é o nome apontado para acalmar o mercado e já foi colocado até mesmo como possível sucessor na cadeira do chefe no Palácio do Planalto.

 

Leia mais notícias em Política 


Apesar de ter feito a conta na rede em maio deste ano, o ministro deu a primeira "tuitada" em 7 de junho, quando avisou: "Pretendo usar este espaço para debater os rumos do Brasil". Já neste primeiro dia, disse estar em Paris para reunião da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Segundo ele, o ingresso no grupo composto por 34 países faz parte das reformas necessárias ao Brasil. Na internet, o ministro de Temer tem pregado um discurso de otimismo em sua página.

 

Índice do BC mostra que recuperação da economia registrada no início do ano continua na abertura do 2º trimestre

- Henrique Meirelles (@meirelles) 16 de junho de 2017


Ele também usou o espaço para comemorar os números da inflação, que, nos últimos 12 meses, chegou a um índice de 3,6% no acumulado, abaixo da meta. Em maio, o IPCA fechou em 0,31%, melhor resultado para o mês em 10 anos. Meirelles não perdeu tempo em comentar. "Nossa agenda de reformas reduziu a inflação e garante a retomada do poder de compra dos brasileiros", disse em sua página na rede social.

 

Comparado com abril 2016, as vendas do varejo subiram 1,9%, depois de 2 anos de taxas negativas.

- Henrique Meirelles (@meirelles) 13 de junho de 2017
 


No início da semana, o responsável pela política econômica narrou sua participação em uma conferência de investidores internacionais e disse estar comprometido em garantir novos investimentos para o país. "Previsões econômicas são de aumento do emprego durante o ano, retomada dos investimentos e manutenção dos gastos sociais do governo", registrou. Meirelles também usou a página pessoal para dizer que, a partir de agosto, a taxa de desemprego deve começar a cair.

 

 


Outra boa notícia que ele fez questão de dar nas redes foi sobre a melhora no setor de serviços, que, segundo ele, é um sinal de recuperação da economia. Em seu perfil, o ministro disse que este era o único componente negativo no Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre e que o "resultado de abril mostra reação desse setor". O avanço, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi de 1% em abril. "Transporte foi o destaque no avanço de 1% do setor de serviços em abril frente a março, o melhor número para o mês desde 2013", escreveu.

 

Inflação

 

O teto da meta de inflação estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para o período de 2005 a 2018 é de 4,5%. Na reunião do próximo dia 29, o CMN vai reduzir a meta para 4,25% em 2019, retomando o processo de manter a inflação a baixos níveis. As expectativas do mercado, nesse caso, neutralizam em parte a crise política e o impacto dela na economia.