Quase 40% dos brasileiros acreditam que melhor saída para o País são novas eleições

Publicado em 08/04/2016 por Portal R7

Três quartos dos brasileiros querem Dilma Rousseff fora do Planalto, seja por eleições, impeachment ou renúncia 28.10.2014/DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Quase 40% dos brasileiros, ou 38,7%, acreditam que a melhor saída para o País são novas eleições. O resultado é de pesquisa de opinião feita pelo Instituto Paraná Pesquisas, obtida com exclusividade pelo R7.

Na questão estimulada, os eleitores podiam optar como melhor saída para o Brasil, além de novas eleições, na permanência de Dilma no cargo até o fim do mandato, na renúncia ou no impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Os que defendem que a saída da crise depende da permanência de Dilma no cargo somaram 24,5%, ou um quarto dos entrevistados. Isso significa que quase três quartos dos eleitores querem Dilma fora do Palácio do Planalto, se forem somados os que defenderam a renúncia da presidente (19,9%), o impeachment (15,4%) ou novas eleições (38,7%).

A pesquisa mostra, portanto, que entre os que defendem uma nova alternativa para o País, o impedimento da presidente teve a menor preferência, com 15,4%.

Para o diretor do Instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, o estudo deixa claro o desejo do brasileiro por novas eleições.

- O desejo popular hoje é que tenha eleições. Se juridicamente é possível ou não isso é outra discussão, mas o desejo é esse.

De acordo com Hidalgo os estudos têm detectado um acirramento dos ânimos, o que ele considera preocupante no debate político.

- Você tem em torno de 70% de brasileiros que querem a saída da presidente, por eleições ou impeachment ou renúncia, e cerca de 30% dos que não querem, por considerar golpe ou por achar que ela deve ficar. O que nos preocupa é a polarização excessiva, o clima passional que está dominando as discussões. Isso pode ser perigoso quando se aproximar a votação do impeachment.

Pessimismo

Apesar da clara preferência dos brasileiros por um novo governo, grande parte, ou 42,1%, acredita que a situação ficará como está mesmo com a saída de Dilma Rousseff. Os que acham que a situação vai melhorar sem Dilma são menos da metade, 37,6%. Outros 18,9% acreditam que vai piorar e 1,5% não sabem ou não responderam.

A pesquisa foi realizada em 162 municípios de 24 Estados brasileiros entre os dias 3 e 6 de abril. A amostra é de 2.044 habitantes e tem grau de confiança de 95%. As entrevistas foram pessoais. A margem de erro para os resultados gerais é de dois pontos percentuais.