Reunião define a criação de Câmara e Foro da Apicultura e Bovinocultura do Norte de Minas

Publicado em 17/06/2017 por Gazeta Norte Mineira

Representantes do Senar Minas, Emater, Idene, Ima, Conab, MAPA, Universidades, instituições bancárias, Epamig, associações de produtores, apicultores e produtores de leite, dentre outros, participaram no último dia 13 de junho, em Montes Claros, de encontros, que definiram a criados a Câmara Técnica de Apicultura e o Foro Permanente da Bovinocultura de Leite do Norte de Minas.

A criação da Câmara foi proposta pela manhã em encontro na sede da Codevasf, com o objetivo de otimizar os trabalhos realizados entre os parceiros em prol da cadeia produtiva do mel, para que as ações sejam articuladas e coordenadas, a fim de assegurar o desenvolvimento sustentável do setor apícula regional.

Encontro de entidades e apicultores na Codevasf
em Montes Claros (Foto: Divulgação)

Segundo o superintendente da Codevsf, Rodrigo Rodrigues, atualmente na região, aproximadamente 1.500 apicultores estão produzindo cerca de mil toneladas de mel. "Seis casas de mel estão em pleno funcionamento em Januária, Espinosa, Mirabela, Mato Verdel, Nova Porteirinha, Bocaiúva e a construção de um entreposto, também no município de Bocaiuva está em andamento. Com toda esta evolução do setor, a proposta é unir esforço para melhorar os índices de produção, qualidade do produto e conquistar novos mercados", informou.

No momento, a apicultura Norte Mineira vem enfrentando problemas por causa da seca, fator comum a toda cadeia produtiva do agronegócio regional, segundo os idealizadores, a Câmara Técnica vai garantir a coordenação do trabalho dos agentes e assegurar o desenvolvimento sustentável do setor e evitar problemas que venham comprometer a produção de mel.

Na parte da tarde, o gerente do Senar Minas e representantes da Emater, Sociedade Rural e produtores de leite de toda a região, participaram de um encontro no Sindicato Rural de Montes Claros, onde foram discutidas ações e alternativas para enfrentar a crise do setor leiteiro.

Segundos dados da Emater, de 2011 para cá, a produção de leite no Norte de Minas caiu cerca de 60%, pulou de 600 mil litros/dia para 250 mil/dia. Segundo o diretor do Conselho Fiscal do sindicato, Marcelo Ferrante, "a situação dos produtores de leite é dramática e o único jeito de sair dessa situação é o uso de novas tecnologias, como as que vêm sendo desenvolvidas pelo Senar Minas como, o Projeto Balde Cheio, ABC Cerrado e Formação por Competências e apoio aos projetos de cultivo de palma forrageira, que está sendo introduzido na região pela Emater e Epamig, com apoio de outras entidades", destacou Ferrante.

O gerente do Senar Minas, Dirceu Martins, falou sobre os vários treinamentos e capacitações oferecidas gratuitamente aos produtores, trabalhadores rurais e suas famílias. "Essa capacitação busca melhorar a produção, a qualidade do leite e seus derivados, garantindo assim, o desenvolvimento do agronegócio e renda para os produtores da região", disse. Com informações do Senar Minas.