Simplesmente do contra. Servidores em greve

Publicado em 12/06/2017 por Paraná Online

 

A onda do direito adquirido, quando misturada com o hábito de ser gratuitamente do contra, trava a evolução do Brasil. Se isso não mudar, nunca, nunquinha, seremos um país desenvolvido. Antes, precisamos ser um povo desenvolvido. Ser bacaninha, alegre e com alta capacidade de se virar na crise já perdeu a graça.

Hoje Curitiba inicia a meio-pau. Servidores públicos de várias categorias amanhecem em greve. Se você tem filho pequeno em algum CMEI, vai ter que arrumar outro lugar pra deixá-lo enquanto estiver trabalhando. Se ele já é maiorzinho, vai ficar em casa vendo TV, pois as escolas municipais também serão afetadas.

E nem pense em adoecer por esses dias. Sem servidores, as unidades de saúde terão que manter portas fechadas. Como os guardas municipais também resolveram aderir à paralisação, muito provavelmente nem mesmo segurança terá o postinho.

Ajuste não

A motivação para o protesto, que não tem data pra terminar, é oposição total ao pacote de ajuste fiscal proposto pela Prefeitura de Curitiba, que está em discussão na Câmara Municipal, tramitando em regime de urgência.

A pauta sindical grita contra as mudanças no sistema previdenciário do município; a suspensão da data-base e dos planos de carreira dos servidores; o leilão de dívidas da prefeitura e a criação de uma lei de responsabilidade fiscal municipal.

Nenhuma sugestão. A lista de insatisfação ignora o fato de a capital paranaense precisar reorganizar as contas. Por que? Seria mais conveniente esperar tudo estourar, com atrasos de salários e paralisação total de serviços por falta de recursos mínimos?

A sim! Rafael Greca não cumpriu, até agora, com a promessa de economizar com comissionados. É verdade. Então que se cobre claramente isso, que se proteste contra este fato. É obrigação do prefeito dar o exemplo, diminuir as mordomias que engordam a máquina pública.

Mas simplesmente ser do contra, lutar por direitos adquiridos que não têm mais justificativa pra existir, é ignorância. Quantos dos mesmos que a partir de hoje vão cruzar os braços já precisaram cortar a TV a cabo ou eliminar a carne do cardápio pra economizar no orçamento familiar?

De hoje, até sabe-se lá quando, o povo curitibano volta a pagar o pato. De novo! Pelos desmandos históricos do poder público e seus políticos eleitos, e pela birra sindical. Enquanto esses dois grupos continuarem pensando em seus direitos adquiridos, o cidadão segue refém do jeitinho pra sobreviver. Sabe-se lá até quando.