Violência à pessoa idosa só aumenta

Publicado em 17/06/2017 por Folha de Londrina


Ricardo Chicarelli
Ricardo Chicarelli


Se a proporção de vítimas continuar como atualmente, o número de idosos afetados por abusos ou violência pode chegar a 320 milhões nos próximos trinta anos. É o que aponta o relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde), publicado na revista Lancet Global Health.

Atualmente, um em cada seis idosos em todo o mundo é vítima de algum tipo de violência, como física, psicológica, sexual, verbal, abandono, negligência (voluntária, involuntária e autonegligência) e exploração financeira. Fechando esta conta, são aproximadamente 141 milhões de pessoas idosas em sofrimento.

O levantamento teve como base, os dados coletados de 52 estudos realizados em 28 países, indicando que a violência contra idosos está aumentando, e serviu como um alerta para o Dia Mundial da Conscientização da Violência à Pessoa Idosa, celebrado em 15 de junho.

Em Londrina, a semana foi marcada por conversas com estudantes sobre os direitos dos idosos e as formas de violência, além da produção de cartazes educativos e peças teatrais.

No sábado (17) de manhã, profissionais do Creas IV ( Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e da Cáritas Arquidiocesana de Londrina, realizaram uma panfletagem no Calçadão.

"A ideia é falar que existe violência e que ela pode ser denunciada e rompida. A gente recebe entre 30 a 50 ligações diárias, sendo a maioria denúncias de violência física, abandono e exploração financeira", afirma Genilda Pozzetti Stabile, coordenadora do Creas IV.

A secretária municipal do Idoso e da Assistência Social, Nádia Oliveira de Moura, defende o fortalecimento das ações já existentes e novas ferramentas que visem a conscientização e o combate à violência contra a pessoa idosa. "Entendemos que quanto mais se fala sobre o assunto, mais pessoas conhecem os serviços que toda a rede municipal oferece e elas nos ajudam a combater esse mal", destaca.

No município, são cerca de 75 mil pessoas acima de 60 anos, o que representa 11% da população. Segundo os dados de atendimento do Creas IV, em maio deste ano, foram acompanhados 364 casos de violência contra idosos, sendo que 29 deles eram novos na rede. No mês de abril, foram 382 acompanhamentos, sendo 21 deles denúncias de novos casos.

Somente no ano passado, de janeiro a dezembro, das 457 vítimas de violência registradas, 401 eram novos casos. Ao passar pelo Calçadão, o metalúrgico aposentado Osvaldo Gonçalves Campos, 67, comenta que não sabia da existência de uma data de Conscientização da Violência à Pessoa Idosa, mas ao receber o panfleto e alguns esclarecimentos, validou a iniciativa.

"Os idosos não têm respeito em lugar nenhum. Estou falando em educação, respeito ao próximo. É o mínimo que esperamos dos outros", ressalta. Após ter se dedicado anos em um cargo administrativo, o aposentado José Arlindo Macri, 66, também aproveitou a ação para tirar dúvidas sobre denúncias.

"Eu já passei por certas coisas que não tiveram resolução porque eu simplesmente não sabia o que fazer. Não sabia se tinha que procurar a polícia, um centro de atendimento ao idoso, o que fosse", conta.

Macri revela ter sido vítima de várias tentativas de golpe, além de vivenciar situações cotidianas de preconceito. "É no ônibus, na fila do banco, no mercado, em todos os lugares. As pessoas acham que a gente deveria ficar só em casa para não dar trabalho, mas esquecem que um dia eles também envelhecerão", reflete.

Encaminhamento

Ao receberem uma denúncia, uma equipe multidisciplinar da rede de serviços municipais realiza uma visita de averiguação do local. Constatada a violência, os psicólogos e assistentes sociais fazem o acompanhamento da vítima e de seus familiares e os encaminham para outros serviços das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). Quando necessário, o caso é enviado para a Promotoria Pública do Idoso, do Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Serviço: As denúncias contra a pessoa idosa podem ser feitas no Creas IV pelo tel: (43) 3378-0405; pelo Disque Idoso Paraná: 0800-41-0001; Disque Direitos Humanos: 100, ou pela Cáritas: (43) 3354-2853. Também é possível denunciar através do e-mail: notificacao @ caritaslondrina.com.br ou pessoalmente na Rua Umuarama, 46, Jd. Santo Antônio ou no Creas, que fica na Avenida Rio de Janeiro, 1560, Centro.